Governo reativa programa de crédito fundiário após 10 anos e beneficia 39 famílias de Tuntum

Total de 39 famílias do povoado Cigana, localizado no município de Tuntum, tem agora em mãos a tão sonhada escritura da terra para morar e tirar o sustento. A ação, realizada nessa segunda-feira (19), por meio do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), que estava parado há 10 anos no Maranhão; é fruto da parceria do Governo do Estado com a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário (Sead). Em solenidade realizada no Palácio dos Leões, o governador Flávio Dino entregou a titulação de 972 hectares de terras, que agora darão segurança jurídica para os agricultores plantarem milho, arroz, feijão e mandioca.

Com o investimento de R$ 2,7 milhões, o acordo de cooperação técnica firmando entre o Governo do Estado e o Governo Federal marca a reativação do PNFC no Maranhão, que estava parado há quase 10 anos. O presidente da Associação dos produtores rurais do povoado Cigana, município de Tuntum, José Elias, era só alegria após ver um sonho de muitos anos ser realizado.

O governador Flávio Dino entregou a titulação de 972 hectares de terras, que agora darão segurança jurídica para os agricultores plantarem milho, arroz, feijão e mandioca. (Foto: Handson Chagas/Secap)

O governador Flávio Dino entregou a titulação de 972 hectares de terras, que agora darão segurança jurídica para os agricultores plantarem milho, arroz, feijão e mandioca. (Foto: Handson Chagas/Secap)

Ele contou que passou dois anos trabalhando em situação análoga à escravidão na beira de uma estrada, tendo que se submeter a isso porque não tinha terra para plantar. Mas que a ajuda do Governo do Estado chegou bem na hora que ele mais precisava. “Governador, você fez uma história que já vai fazer 10 anos que não existia. Essa história sua é tão bonita porque você tem o desejo e a vontade e o caráter de restaurar, crescer, a área da agricultura familiar do Maranhão”, disse emocionado.

Em seu discurso, o governador Flávio Dino citou o exemplo de José Elias e das outras 39 famílias beneficiadas para dizer que, neste momento de aguda crise econômica e política nacional, é preciso ter fé e perseverança que as coisas vão melhorar e que ações como essas são essenciais para alavancar a real economia do Maranhão, que não precisa apenas ser de investimentos de bilhões de reais, mas sim na dignidade das pessoas.

“Portanto a grandeza está na medida que você adota. Não pode ser apenas o dinheiro. Neste caso nós medimos a grandeza desse momento pela grande dignidade que esse momento propicia para essas famílias. Que estão realizando sonhos. O que é maior do que o sonho, o que é maior do que a dignidade? Nada”, ressaltou o governador.

O governador Flávio Dino entregou a titulação de 972 hectares de terras, que agora darão segurança jurídica para os agricultores plantarem milho, arroz, feijão e mandioca. (Foto: Handson Chagas/Secap)

O governador Flávio Dino entregou a titulação de 972 hectares de terras, que agora darão segurança jurídica para os agricultores plantarem milho, arroz, feijão e mandioca. (Foto: Handson Chagas/Secap)

Ele destacou ainda que no Maranhão tudo é para ontem, e que a reativação desse Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) é mais um dos exemplos da estagnação que existia nas políticas públicas do Estado, sobretudo na área da agricultura familiar. “Esse é mais um programa importante paralisado há uma década, para não mencionar outros tantos problemas que nós acabamos ficando para trás em relação a outros estados da Federação”, sublinhou.

Para o secretário de Agricultura Familiar, Adelmo Soares, essa solenidade tem importância significativa porque marca a retomada de um dos principais programas de crédito fundiário que estava parado há quase 10 anos. “Hoje 39 famílias começam inaugurando essa nova gestão no Governo, dando um grande presente de Natal para as famílias que vão poder ter suas terras e melhorar a qualidade de vida”, pontuou.

Mais investimentos

O secretário adjunto executivo da Sead, Jefferson Coriteac, elogiou a atitude do Governo do Maranhão de retomar o PNCF e enfatizou que a assinatura desse acordo é um marco para a continuidade da parceria com o Governo Federal. “Esse documento é importante para que esses agricultores possam chegar e dizer: essa terra é minha. Essa que eu vou sustentar os meus filhos e meus filhos vão sustentar os meus netos”, realçou.

Na ocasião, o secretário anunciou que a Sead tem a expectativa de, para o ano que vem, fazer a contratação de crédito fundiário de mais 200 famílias no Maranhão. “Além disso, nas cinco Agritecs nós vamos realizar os mutirões do programa de documentação do trabalhador rural (PMDTR). Fica o compromisso nosso aqui de implementar nas 5 feiras. E para janeiro de 2017 a liberação dos 450 mil reais para infraestrutura dessas famílias”, finalizou Coriteac.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.