Governo realiza apresentação das 3ª e 4ª etapas do Plano de Resíduos Sólidos

O Governo do Estado, por meio da Agência Executiva Metropolitana (AGEM), realizou o “Seminário de Apresentação e Discussão do Estudo de Viabilidade da Implementação da Alternativa Selecionada e Diretrizes para Educação Ambiental da Comunidade e Estratégias de Implementação, Capacitação, Difusão e Promoção do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana da Grande São Luís”. O evento aconteceu no auditório do Palácio dos Leões.

Trata-se da apresentação dos resultados das etapas 3 e 4 do referido Plano. “São ações imprescindíveis em direção ao gerenciamento adequando dos resíduos sólidos produzidos pelos municípios da Região Metropolitana de São Luís”, destacou o presidente da AGEM, Lívio Jonas Mendonça Corrêa.

Segundo ele, o Plano de Resíduos Sólidos é um instrumento de extrema importância, pois trata da resolução de uma questão bastante discutida em todo o Brasil, que é o do gerenciamento de resíduos sólidos. Atualmente, os lixões estão proibidos e há uma data legal para que todas as cidades brasileiras adotem aterros sanitários. “Daí é fundamental que haja envolvimento de gestores públicos, das empresas que trabalham neste setor e de representantes da sociedade civil em todo o processo de produção e de execução deste Plano”, reforçou Lívio Corrêa.

Fases
A apresentação foi feita pelo engenheiro ambiental Pedro Duarte, da Floram Engenharia, empresa contratada para realizar o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PGIRS).

A terceira etapa trata do estudo de viabilidade econômico-financeira e diretrizes para educação ambiental na Região Metropolitana da Grande São Luís. Foram apresentados dados relacionados a análises tarifárias, criação de negócios ligados aos serviços de limpeza pública, manejo de resíduos sólidos e materiais recicláveis, melhoria dos aspectos estético-sanitários, valorização dos resíduos e redução dos rejeitos, dentre outros. “Estamos considerando agregar valor àquilo que normalmente seria descartado, obtendo-se ganhos sociais, ambientais e financeiros”, explicou Pedro Duarte.

O quarto passo consiste nas estratégias de implementação, capacitação, difusão e promoção do Plano. O objetivo de apresentação dos dados referentes a esta fase foi debater os aspectos relativos à execução do PGIRS. “É o momento de tratarmos sobre as diretrizes para capacitação técnica, modelos de parceria, controle e fiscalização, coleta seletiva, logística reversa, definição de responsabilidades, dentre outros temas”, ressaltou o engenheiro.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.