Governo lança no início do próximo ano projeto “Ignácio Rangel – Desafios para o Desenvolvimento do Maranhão”

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), lança no início do próximo ano o projeto “Ignácio Rangel – Desafios para o Desenvolvimento do Maranhão”, em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema). O projeto tem como objetivo discutir os principais desafios para que o Brasil e o Maranhão possam se desenvolver no século XXI. Para isso os participantes deverão produzir pesquisas que identifiquem essa situação.

A iniciativa é voltada para recém-doutores selecionados de todo o Brasil que irão atuar na Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Universidade Federal do Maranhão (Ufma) e Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (Uemasul) por intermédio de edital da Fapema.

Segundo o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, a homenagem é de grande significado. “O projeto homenageia Ignácio Rangel, que é um maranhense consagrado nacionalmente no âmbito da economia e que poderá inspirar as pesquisas e produções desses recém-doutores”, disse.

Almada afirmou ainda que foi disponibilizado no site da Secti um livro intitulado “Ignácio Rangel, decifrador do Brasil”, que pode ser um grande incentivador das pesquisas. “Esse projeto é de grande competência, e tem como intuito inserir nosso Estado no debate nacional sobre o desenvolvimento. E, ao mesmo tempo, revitalizar esse diálogo”, destacou.

O projeto terá a duração de 12 meses e os participantes receberão uma bolsa da Fapema. Os temas serão fixados no edital a partir das oficinas regionais e estudos técnicos realizados para o anteprojeto do Plano Decenal de Ciência, Tecnologia e Inovação, bem como as linhas estratégicas apontadas por Ignácio Rangel.

Durante o projeto, os participantes deverão apresentar três seminários parciais, 30 artigos científicos, 15 relatórios de pesquisa e dois livros coletivos reunindo os resultados das pesquisas, além de um seminário final reunindo as experiências alcançadas no projeto que será realizado no fim do próximo ano.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.