Governo e Ministério da Saúde promovem oficina de cuidados de crianças com Síndrome Congênita da Zika e STORCH

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) em parceria com o Ministério da Saúde (MS) realizou, até quarta-feira (8), a oficina para construção da Linha de Cuidado – Estratégia de Fortalecimento das Ações de Cuidado para as Crianças com Síndrome Congênita da Zika (SCVZ) e STORCH, e suas famílias.

O objetivo da oficina é instrumentalizar o Comitê Gestor Estadual e as equipes dedicadas dos municípios de São Luís, Buriticupu, São José de Ribamar, Imperatriz, Paço do Lumiar e Timon para construir a Linha de Cuidado das crianças com SCZV e STORCH.

“A oficina é feita com base nas orientações do Ministério da Saúde, mas a linha de cuidados é construída a partir do olhar dos municípios e de suas realidades. Esse será o caminho que irá subsidiar a construção da linha, para que ele possa ter a participação efetiva dos municípios”, destacou a chefe do Departamento de Assistência à Saúde da Criança e do Adolescente da SES, Raimunda Formiga.

A oficina subsidiou as equipes dedicadas municipais com metodologia de visita técnica aos serviços, visita domiciliar e instrumentos de reconhecimento da dinâmica da família para a construção da Linha de Cuidado das Crianças com SCZV e STORCH, entre outros.

“Vamos avaliar como está funcionando da rede de cuidados para essas crianças e famílias, o desenvolvimento infantil, a vigilância em saúde e refletir sobre o que funciona e o que não funciona, o que pode mudar para garantir mais qualidade no atendimento e o acesso efetivo”, explicou Ana Beatriz Reis, da Equipe da Estratégia Brasileirinhos e Brasileirinhas Saudáveis (EBBS).

Participaram representantes dos municípios de São Luís, Imperatriz, São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Timon e Buriticupu. Para isso, foram criadas equipes dedicadas, que acompanham essas crianças de forma exclusiva, com visita domiciliar, reconhecimento da dinâmica da família, visita aos serviços, para colaborar com o Projeto Terapêutico Singular (PTS) para cada criança. A oficina contou com a participação técnica de Ione Melo e Chyrly Moura, do Ministério da Saúde.

A psicóloga Gesilda Oliveira, do município de Paço do Lumiar, disse que a oficina colabora com o fortalecimento da assistência em saúde. “Estamos aqui para melhorar nosso trabalho e ajudar de maneira mais assertiva essas famílias, que muitas vezes são famílias em situação de vulnerabilidade social. Todo o caso notificado em nosso município tem sido acompanhado”, pontuou.

“Em nosso município já trabalhamos uma linha de assistência as crianças com microcefalia e essa oficina traz informações, novidades para quem atendemos na ponta. Informações que trabalhem esse público e fortaleçam nossas ações são sempre favoráveis e quem ganha é a criança e essa família que vai usufruir do serviço público”, ressaltou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.