Ginecomastia em fisiculturistas: cirurgia é diferente

Com a atenção para algumas características únicas dos pacientes, a cirurgia de redução de mama atinge bons resultados estéticos em fisiculturistas com ginecomastia. É o que aponta um estudo, publicado noPlastic and Reconstructive Surgery®, jornal da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (ASPS).280714043634-medicina-integrada-centro-cirurgico280714041139-medicina-integrada-consultorio

O artigo destaca as características dos pacientes e as questões técnicas, incluindo o papel dos esteroides anabolizantes e dos suplementos hormonais, que são relevantes para o sucesso da intervenção cirúrgica.

Mordcai Blau, especialista em redução de mamas masculinas e autor do estudo, fez uma revisão da sua experiência da cirurgia de ginecomastia em fisiculturistas. Blau já realizou a ginecomastia em mais de 1.600 fisiculturistas e outros pacientes com “bom físico”.

O estudo concentra-se na análise de dados de 1073 pacientes, acompanhados pelo período de um a cinco anos após a cirurgia.  Nesse grupo, os homens tinham idades entre 18-51 anos e 15% eram fisiculturistas. Nenhum deles apresentava doenças hormonais que pudessem causar a ginecomastia. Em alguns casos, a ginecomastia em desenvolvimento na adolescência – condição temporária – tornou-se permanente depois que o paciente começou a usar esteroides ou suplementos contendo hormônio.

“Segundo o autor do estudo, a cirurgia de ginecomastia em fisiculturistas exige uma abordagem diferente. Em contraste com outros grupos de pacientes de ginecomastia, que tendem a estar acima do peso ou obesos, fisiculturistas geralmente não precisam de remoção do excesso de gordura ou pele. No entanto, eles precisam de atenção especial para evitar sangramento e cicatrizes. O risco de sangramento é maior por causa do aumento do fluxo sanguíneo nos músculos do peito altamente desenvolvidos. Esteroides e suplementos não regulamentados, incluindo shakes de proteína, vitaminas e óleos de peixe, podem também aumentar o risco de sangramento”, afirma o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada (CRM-SP 62.735).

Ênfase na remoção completa do tecido glandular da mama

Fisiculturistas são “perfeccionistas no que diz respeito à sua compleição física e estética, por isso o seu nível de expectativas é maior”, defende o autor do estudo, que executa o procedimento através de uma incisão de uma polegada, feita no lado de baixo da aréola em torno do bocal.

Ao delinear sua técnica cirúrgica, Blau destaca a necessidade da remoção completa de todo o tecido glandular mamário. Segundo o autor do estudo, “após a cirurgia, os relatórios de patologia geralmente mostram um desenvolvimento excessivo (hipertrofia) do tecido da glândula e alguns pacientes tinham células pré-cancerígenas”, conta o cirurgião plástico.

Com o emprego da técnica cirúrgica descrita, a maioria dos pacientes pesquisados revelou-se “extremamente satisfeita” com os resultados cirúrgicos, aponta os relatórios do autor. O estudo também aponta que a “grande maioria” dos pacientes continuou a usar esteroides anabolizantes após a cirurgia, uma vez que a glândula foi completamente removida, não se verificaram problemas com a ginecomastia recorrente.

As complicações cirúrgicas descritas eram incomuns e menores. “Houve uma taxa de 6% de hematomas, causando dor, inchaço e hematomas. O autor observa que este problema tornou-se menos comum depois que ele começou a fornecer instruções mais precisas sobre cuidados pré e pós-operatório: parar todo o uso de esteroides e de suplementos antes da cirurgia e retomar os exercícios físicos gradualmente após a cirurgia”, destaca o médico, que é membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Os cirurgiões plásticos americanos estão presenciando um aumento do interesse na cirurgia de ginecomastia entre os fisiculturistas e outros homens com bom físico. O autor do estudo sugere que os cirurgiões que executam a cirurgia de ginecomastia devem começar com casos mais simples, antes de prosseguir com as demandas mais desafiadoras apresentadas por fisiculturistas.

Ginecomastia e reperscussão social

 Segundo Ruben Penteado, diferentemente dos fisiculturistas, a maioria dos homens afetados pela ginecomastia não procura tratamento. “O tratamento cirúrgico da ginecomastia pode melhorar a estética e a qualidade de vida dos pacientes. Os cirurgiões plásticos estão constantemente estudando e aperfeiçoando as técnicas cirúrgicas para criar procedimentos mais eficazes e seguros”, diz o médico.

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.