Flávio Dino se solidariza com Vaza-Jato e diz que Moro age com “prepotência” e “autoritarismo”

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirmou, em sua conta do Twitter, na manhã desta terça-feira (16), que o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, agiu com “prepotência” e “autoritarismo” ao reagir às reportagens da Vaza-Jato.
Sem citar o nome, Dino afirma ainda que quem fez papel ridículo foi Moro e manifesta “solidariedade aos jornalistas, de vários veículos de comunicação, injustamente agredidos em sua honra”.
 “Os autodenominados ‘agentes da lei’ dizem que seus críticos são defensores da corrupção. Isso é o auge da prepotência e do autoritarismo. Além de, aí sim, ser ridículo. Minha solidariedade aos jornalistas, de vários veículos de comunicação, injustamente agredidos em sua honra.”
Para o governador, os acertos não legitimam os abusos de absurdos e nem justificam a sede por poder e dinheiro.
“Os autodenominados “agentes da lei” perpetraram abusos e absurdos jurídicos. Mas claro que também acertaram. A questão é que os acertos não legitimam os abusos e absurdos. Tampouco justificam a sede por poder e dinheiro. Prepotência e ganância são graves pecados”, enfatizou Dino.
Acuado com a divulgação de uma série de diálogos pelo site The Intercept em parceria com outros órgãos de imprensa, Moro classificou nesta terça-feira as reportagens da Vaza Jato como “campanha contra a Lava Jato e a favor da corrupção”, que estaria, segundo ele, “beirando o ridículo”.
“Sou grande defensor da liberdade de imprensa, mas essa campanha contra a LavaJato e a favor da corrupção está beirando o ridículo. Continuem, mas convém um pouco de reflexão para não se desmoralizarem. Se houver algo sério e autêntico, publiquem por gentileza (SIC)”, tuitou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.