Exames em cachorro detectam baixos níveis de coronavírus, segundo governo de Hong Kong

Exames em um cão em Hong Kong detectaram a presença de coronavírus, de acordo com um porta-voz do Departamento de Agricultura, Pesca e Conservação do território semiautônomo da China, nesta sexta-feira (28).

Os níveis detectados no cachorro são baixos e o animal não apresenta nenhum sintoma. Ainda não está claro se o vírus do cão pode infectar humanos.

Novos exames adicionais serão feitos para comprovar se o cão está realmente infectado pelo vírus ou se o resultado do exame se deve à contaminação ambiental do nariz e boca do animal, de acordo com o Departamento de Agricultura, Pesca e Conservação.

O cachorro é de um paciente infectado com coronavírus, que mora em Hong Kong. Ele foi retirado do apartamento em Tai Hang na quarta (26) e enviado para a quarentena em um estabelecimento no porto de Hong Kong. Ele é o único animal presente no local.

O Departamento de Agricultura, Pesca e Conservação de Hong Kong afirmou que não há “evidências de que animais de estimação possam estar infectados com o vírus Covid-19 ou ser uma fonte de infecção para as pessoas.”

Coronavírus e animais silvestres

A presença do coronavírus em animais domésticos está sendo analisada e os resultados dos exames ainda não são conclusivos.

Mas, em relação aos animais selvagens, pesquisas apontam que a primeira contaminação de um humano pelo novo coronavírus, que causa o Covid-19, pode ter ocorrido a partir do consumo da carne de pangolim, um animal em risco de extinção. Ele, por sua vez, pode ter entrado em contato com fezes de morcegos infectados.

Fonte: G1

Foto: Foto: Aly Song/Reuters

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.