Ex-prefeita de Bom Jardim na mira da Interpol

A Polícia Federal entregou à Justiça o relatório final do inquérito sobre Lidiane Rocha, ex-prefeita de Bom Jardim, no Maranhão. De acordo com o delegado Ronildo Lages, chefe da Delegacia de Repressão aos Crimes Patrimoniais, Lidiane vai responder, a princípio, pelos crimes de fraude em licitação, peculato e associação criminosa. A ex-prefeita é suspeita de desviar verbas da merenda escolar, da reforma de escolas, do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) em Bom Jardim, cidade de 40 mil habitantes. Contra ela, há um mandado de prisão preventiva.

O inquérito completo está agora nas mãos do Ministério Público, que pode ou não oferecer denúncia. A partir de agora, serão iniciadas novas investigações pela Polícia Federal a respeito de outras licitações suspeitas na área de educação — explica o delegado.

Lages afirma que ainda não há um levantamento sobre o valor total desviado por Lidiane Rocha durante a sua gestão como prefeita de Bom Jardim. Segundo ele, há várias suspeitas de fraude, e é necessário concluir as investigações futuras para chegar a um número.

De acordo com o delegado, a Polícia Federal está recebendo muitas informações sobre o paradeiro de Lidiane – foragida desde o dia 20 de agosto – , e que todas estão sendo averiguadas. A principal hipótese, disse, é que a ex-prefeita esteja no Brasil. No entanto, destaca que foi solicitado à Justiça a inclusão de Lidiane na lista vermelha da Interpol. A maior preocupação no momento, segundo ele, é com a segurança de Lidiane.

— Temos uma preocupação com a segurança de Lidiane pelo fato de existirem pessoas com interesse em fazer queima de arquivo, que ela não fale com a polícia — afirma.

lidiane

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.