Eurico diz que não houve desistência do Vasco

Em dia de protesto e confusão em São Januário, Eurico Miranda apareceu. O mandatário do Vasco entrou na sala de imprensa do clube ao lado dos vice-presidentes Silvio Godói e Fernando Horta, além do vice de futebol José Luis Moreira, e fez um pronunciamento sem direito a perguntas. Em suas palavras, fez coro ao técnico Jorginho; disse estar envergonhado com a goleada sofrida de 6 a 0 para o Internacional na última quarta-feira, no Beira-Rio; pediu desculpas aos torcedores e, mesmo com 99% de risco de cair para a Série B em 2016 – segundo cálculos do matemático Tristão Garcia -, manteve a esperança de evitar o terceiro rebaixamento do clube nas últimas seis edições do Campeonato Brasileiro em que disputou.

– A diretoria, no caso eu pessoalmente como presidente, nós.. Aceitar, somos obrigados a aceitar. Mas não nos conformamos com o resultado de 6 a 0. Para o Vasco é vergonhoso. Quero dizer em primeiro lugar, em nome do Vasco, pedir desculpas à torcida pelo resultado. Expressei aos jogadores a nossa vergonha. E que deve ser extensiva a eles também. E terminar dizendo que nós não desistimos. Segue o planejamento de atingir nossos objetivos. Não houve desistência, ponto – afirmou, em rápido discurso.

Logo depois de se pronunciar, Eurico iniciou a apresentação do atacante Leandrão, a 33ª contratação do clube na temporada, e não comentou o dia de protesto e confusão da torcida do lado de fora de São Januário. Desde o início da tarde, o presidente, chamado de “ditador”, virou o principal alvo de críticas de vascaínos. Os gritos eram de: “Eurico bravateiro, para ter respeito tem que planejar primeiro”, “Fora Eurico, fora do Brasil! Vai lá pra Sibéria, vai pra p… que p…!”, “Vou torcer pro Eurico ir pra prisão! Roubou o Vasco, muito ladrão!” e “Arerê, se cair a porrada vai comer!”. Houve até uma tentativa de invasão pelo portão 18, contida por seguranças do clube, durante o treino. Segundo relatos dos próprios manifestantes, um funcionário disparou uma arma de fogo na direção do grupo para evitar a entrada deles. Gás de pimenta também chegou a ser lançado de dentro da entrada social para dispersar a multidão.

Na última quinta-feira, dia seguinte à goleada sofrida no Beira-Rio, torcedores usaram o site “Petição Pública” para pedir a saída de Eurico e sua diretoria do poder. No texto, assinado por mais de 7.600 pessoas até a noite desta sexta, os vascaínos querem a realização de novas eleições presidenciais em um prazo de 30 dias.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.