Especialistas apontam que análise completa dos pacientes pode identificar doenças graves

Pacientes buscam clínicas com atendimento personalizado após passarem por consultas impessoais

Diante da crise na área da saúde brasileira e a piora na qualidade dos serviços, espaços que promovem o conceito de atendimento personalizado ganham força. Clínicas que querem se destacar com os seus pacientes e também com o mercado, buscam pela excelência no tratamento alinhada ao bom relacionamento entre clientes, familiares e a equipe profissional para promover a saúde e a qualidade de vida.

Assim como nas diversas áreas da saúde, a Odontologia busca cada vez mais aprimorar o tratamento interpessoal, principalmente quando esta envolve questões de autoestima e bem-estar, no sentido de buscar se sentir bem consigo mesmo.

Nesse cenário, os cuidados vão além de manter boa higiene bucal com escovações diárias e o uso de fio dental, evitando também hábitos prejudiciais como fumar, consumir bebidas alcoólicas e manter uma má alimentação. Vale destacar ainda que as visitas ao dentista também remetem a um fator fundamental que deve começar desde cedo.

Tudo começa com a escolha de uma clínica que visa pelo serviço que coloca o bem-estar do paciente em primeiro lugar sempre. A administradora Aracelli Oliveira Garreto, não pensou duas vezes na hora de entregar a saúde do seu sorriso a especialistas de confiança, após experiências desagradáveis.

“Eu acredito que um bom profissional deve perceber que na frente dele está um ser humano, com medos, dúvidas, dores, sofrimentos e, muitas vezes, limitações, assim ele ultrapassa a conduta técnica e o atendimento de qualidade e integrado surgem de maneira natural. Ninguém gosta de ser um número numa ficha”, conta Garreto.

Mas nem sempre é tão simples encontrar uma equipe preparada. No caso da administradora, desde a infância até a fase adulta, ela passou por momentos difíceis. Quando tinha Disfunção Temporomandibular, que popularmente é conhecida como ATM e provoca limitações na articulação da mandíbula, Aracelli lembra que sentia muita dor. Chegou a passar horas na cadeira do dentista, enquanto passava por tratamentos sem anestesia.

“Já fiz um tratamento ortodôntico em que explicaram todo o planejamento. Mas durante o tratamento, algumas alterações foram feitas sem me consultar. No final, o resultado foi desastroso para mim. Por essas e outras experiências ruins, sempre tive muito medo de ir ao dentista. Sou daquelas que têm medo da cadeira, horror do barulho das brocas, muito incômodo com os cheiros e às vezes até vergonha por sentir tudo isso”, relata ela.

Ela explica que depois do histórico ruim, passou a ser mais criteriosa na escolha dos profissionais que a ajudam a cuidar da saúde. Ela desenvolveu um olhar mais aguçado, e agora observa tudo desde o espaço físico até a apresentação dos profissionais incluindo a cordialidade da recepção.

Neste contato inicial, ela afirma que já consegue fazer uma breve “leitura’’ do que a aguarda dentro do consultório. Quando esses cuidados se mostram presentes, é uma evidência, para a administradora, que o atendimento traz uma visão humana e integrada, além de mostrar a preocupação e comprometimento com o bem-estar do paciente.

Hoje em dia, Aracelli Garreto encontrou o atendimento que desejava no consultório da Dra. Iluska Fontes, que é especialista em implantes. A dentista é esposa e sócia do Dr. Cláudio Nogueira, especialista em Endodontia. Ambos com o propósito de atuar em uma odontologia diferente do que é encontrado atualmente no mercado, eles inauguram a “Clínica Soul Happy”, em São Luís do Maranhão. O estabelecimento quer ser reconhecido pela excelência em atendimento odontológico, inovação e tecnologia. O objetivo principal é promover conforto, saúde, qualidade de vida e, sobretudo, tornar o tratamento uma experiência de confiança, respeito e cuidado.

 Aracelli Oliveira Garreto, após o tratamento ortodôntico

O promotor de justiça José Lucíolo Gorayeb também conta sua experiência na busca por um tratamento adequado. Em um primeiro momento, ele procurou especialistas na maior metrópole do país, São Paulo, mas passou por situações desconfortáveis com dentistas que acreditavam que o tratamento deve ser generalizado, como se todos os apontamentos dos pacientes fossem iguais.

“Eu fui atendido por uma dentista que fez alguns testes e eu dizia que a dor continuava. E quando ela entendeu que o meu desconforto e a minha situação não cabiam na primeira teoria que ela tinha formulado, quando ela não conseguiu fechar um diagnóstico, ela ficou irritada. O nosso relacionamento quebrou quando ela começou a usar problemas da clínica, como falta de materiais ou instrumentos, para justificar que não poderia me ajudar”, lamenta o promotor de justiça.

Após passar por consultas insensíveis, a busca de Gorayeb por atendimento o levou a descobrir que em sua própria cidade, São Luís, poderia encontrar o cuidado necessário da saúde bucal.

“Os dentistas de São Paulo, onde fazia a manutenção do meu aparelho, me indicaram os especialistas Dr. Cláudio Nogueira e a Dra. Iluska Fontes. Achei bastante interessante a questão do olhar holístico, integral, do tratamento. A doutora Iluska me fez refletir sobre ações dentro do meu cotidiano, que estavam ‘fora da minha boca’, ao questionar sobre minha alimentação durante as viagens, por exemplo. Ela teve uma atenção atípica, diferenciada dos outros dentistas”, lembra Gorayeb.

Promotor José Lucíolo Gorayeb, exibe seu sorriso após o tratamento adequado

A consulta odontológica, em todas as especialidades, deve desenvolver confiança do profissional no interessado em receber o atendimento. Além de um serviço prestado com qualidade, a primeira impressão, a credibilidade e a transparência do local já cativam o paciente a realizar os procedimentos sinalizados pelo profissional.

“Após quase 30 anos de atendimento, eu tive vários exemplos de que é possível afirmar que existe associação entre o diagnóstico e os procedimentos que nós realizamos na cavidade bucal correlacionando com algum aspecto da saúde geral dos pacientes”, destaca o Dr. Cláudio Nogueira.

Durante a consulta inicial para a realização de procedimentos odontológicos, é possível identificar sinais e sintomas que podem justificar também a correlação com diversas doenças em outras partes do corpo humano. A análise completa do paciente garante que as suas queixas sejam tratadas desde a origem e não apenas como um fator único e isolado. É o que afirma o dentista Dr. Cláudio Nogueira, que já acumula experiência com mais de 10 mil atendimentos odontológicos. Ele explica a importância dessa forma de atendimento nos pacientes, além dos apontamentos realizados no momento da consulta.

                                              À esquerda, Dra. Iluska Fontes (dentista especialista em implantes), à direita, Dr. Cláudio Nogueira (dentista especialista em endodontia)

“Como exemplo, nós temos um protocolo na Clínica Soul Happy de aferir a pressão arterial dos pacientes na primeira consulta, já foi possível identificar alguns pacientes com hipertensão arterial que desconheciam que estavam acometidos por essa enfermidade crônica. É preciso ressaltar que nesses casos, nós indicamos esse paciente para o seu médico assistente para realizar o tratamento adequado”, analisa o Dr. Cláudio Nogueira.

A Dra. Iluska Fontes, dentista especializada em implantes, aponta a possibilidade de se diagnosticar doenças graves por meio de exames básicos que são solicitados em procedimentos odontológicos. Em um dos casos exemplificados por ela, a odontologia foi utilizada na prevenção de doenças como AVC.

“Como eu trabalho principalmente com implantes, solicito uma documentação radiológica completa e, entre esses exames, solicito uma radiografia panorâmica. Então, eu já diagnostiquei dois pacientes com ateroma na carótida que através da panorâmica é possível visualizar. E encaminhei os dois para um cardiologista avaliar porque nunca tinha sido diagnosticado antes. É interessante que o dentista faça um diagnóstico antes mesmo do paciente ter conhecimento desse problema que nem é odontológico, é de outro profissional”, afirma a doutora Fontes, sócia da Clínica Soul Happy.

Adicionalmente, a Dr. Iluska destaca que, durante os atendimentos, ela atua também de forma a acolher, estreitar relacionamentos e auxiliar o paciente por meio de assuntos que vão além da odontologia.

Estudos da Psicologia mostram que o momento de uma consulta odontológica pode gerar um aumento da ansiedade e do estresse para muitos pacientes. Por isso, o atendimento cuidadoso e personalizado promove uma relação de confiança com o profissional, fazendo com os pacientes recebam melhor o tratamento proposto, além de cumprirem fielmente as orientações recebidas durante o tratamento. A aferição da pressão arterial, como exemplificada pelo Dr. Cláudio Nogueira, já traduz uma preocupação da clínica odontológica com o bem-estar e a saúde geral dos pacientes.

Por seus valores, a clínica multidisciplinar oferece aos pacientes atendimento personalizado, que se faz presente na relação do profissional com o cliente. Os especialistas frisam a importância do contato direto e do trabalhar a sensibilidade, que permite enxergar as necessidades de cada pessoa, trazendo assim benefícios para os dois lados, ao colocar o conforto, a confiança e o acolhimento em primeiro lugar.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.