Em São Luís, deputados debatem saídas para a educação no Brasil

Encontrar caminhos para a educação e o sistema previdenciário brasileiro. Esse foi o objetivo da 12ª edição do “Diálogos Insurgentes”, debate público promovido pela Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), realizado no início da noite de segunda-feira (1º), no Teatro Alcione Nazaré, no Centro Histórico de São Luís.

Para uma plateia lotada, os deputados federais Alessandro Molon (PSB-RJ) e Bira do Pindaré (PSB-MA) palestraram sobre o tema “Educação, Previdência e os caminhos para o Brasil”.

Líder da oposição na Câmara Federal, Alessandro Molon ressaltou que esse tipo de debate é fundamental para encontrar saídas e alternativas que possam retirar o país da estagnação.

“Estamos realizando debates como esse aqui em São Luís do Maranhão para mostrar que há caminhos que o país pode percorrer”, defendeu Molon.

Os dois palestrantes convergem na mesma opinião: é preciso defender os investimentos em educação.

“Nós defendemos aumentar investimentos nas universidades, na pesquisa, na ciência e tecnologia para que o país desenvolva mais a sua economia, exporte produtos de alto valor agregado, e, assim, torne o país mais rico”, pontuou o deputado Alessandro Molon.

O deputado Bira do Pindaré considera que a formação de pessoas é essencial para o desenvolvimento nacional. “O caminho é preservar os investimentos. Democratizar o acesso ao ensino superior e a formação de pessoas é indispensável para o desenvolvimento”, disse.

Previdência

“Para a Previdência nós propomos que aqueles que mais ganham, os super ricos, contribuam com mais tributos, por exemplo, os bancos”, pontuou Molon.

Bira do Pindaré também acredita que é preciso pensar a Reforma da Previdência preservando os direitos das classes mais baixas e médias do país, taxando aqueles “que estão no topo da pirâmide”.

Diálogos e o futuro do Brasil

O secretário de Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves, antecipou que esse tipo de debate terá continuidade. O secretário acredita que temas como esse dizem respeito à qualidade de vida da população brasileira.

“Esse debate é para discutir os caminhos do Brasil e reafirmar o papel da Constituição Federal que garante a proteção aos direitos fundamentais”, assegura Francisco Gonçalves.

A economista Nilce Cardoso participou da edição do “Diálogos Insurgentes” e acredita que é preciso que a população participe e replique esse tipo de discussão que trata do futuro das pessoas.

“A população precisa ampliar esse tipo de discussão para se apropriar mesmo do debate”, afirmou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.