Em primeira mão: Nixon, prefeito de Bacuri deixa a prisão

O prefeito do município de Bacuri, Nixon dos Santos, preso na semana passada sob suspeita de envolvimento em esquema de agiotagem, deixou a prisão ainda há pouco.

Na última sexta-feira (8), o Tribunal de Justiça prorrogou por cinco dias a prisão temporária de todos os investigados que foram presos pela Operação Morta-Viva realizada pela Polícia Civil e Gaeco – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, criado pelo Ministério Público.

Foram para a cadeia os prefeitos dos municípios de Marajá do Sena e de Bacuri, Edvan Costa e Nixon dos Santos, respectivamente, e os ex-prefeitos de Zé Doca, Raimundo Nonato Sampaio, o Natim (PSC) e de Marajá do Sena, Perachi Farias.

Conforme decisão judicial o prazo prorrogado encerra amanhã. Porém, como Nixon foi preso um dia antes dos demais, o prazo encerrou nesta quarta-feira (13).

Segundo a defesa, não há elementos que justifiquem a previsão preventiva dos envolvidos. Os fatos que estão sendo apurados referem-se a delitos cometidos há mais de dois anos.

Os demais presos, acima citados, devem deixar a prisão amanhã a meia noite, tempo limite aos cinco dias de prisão prorrogada.

Todos são investigados por envolvimento direto com esquemas de agiotagem aplicados pelas prefeituras desde a morte do jornalista Décio Sá, em abril de 2012. Ao todo 42 gestores estão na mira da polícia e do Ministério Público.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.