Dólar se aproxima de R$ 4,20 e força intervenção

O dólar comercial emendou a quarta alta seguida e fechou o dia com valorização de 0,45%, a R$ 4,158 na venda. É o maior valor de fechamento desde 14 de setembro de 2018, quando o dólar havia fechado em R$ 4,167. Durante o dia, o dólar chegou a encostar em R$ 4,20, mas reduziu a alta após atuação do Banco Central.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em alta de 0,88%, aos 96.857,27 pontos, após três quedas seguidas.

Atuação do BC
O Banco Central anunciou uma operação extraordinária de dólares no mercado à vista para segurar a disparada da moeda.

A operação do BC não foi conjugada com nenhum outro instrumento. Foi a primeira vez em dez anos que a autoridade monetária recorreu a uma oferta direta de dólar no mercado spot sem relação com outras ferramentas e sem compromisso de recompra.

Desvalorização dentro do padrão, diz Campos Neto
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse hoje que a recente desvalorização da taxa de câmbio está dentro do padrão normal.

“O real nos últimos dias tem tido desvalorização um pouquinho acima, mas está bem dentro do padrão normal”, afirmou em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal.

Para analistas, a fala de Campos Neto sinaliza que o BC pode não atuar novamente para conter a desvalorização do real.

“Ele (Roberto Campos Neto) fez o mercado piorar com isso”, disse um gestor.

Nos últimos dias, cresceu o coro de analistas questionando a postura conservadora do BC no câmbio, percepção que, segundo operadores, tem dado mais força ao dólar, além da incerteza externa com a guerra comercial entre EUA e China.

*Com informações da Reuters

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.