Detran-MA e Defensoria Pública do Estado alinham ações inclusivas para pessoas surdas

O Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA), representantes da Comunidade Surda da capital e Defensoria Pública do Estado do Maranhão se reuniram, na semana passada, para alinhar ações e procedimentos essenciais ao cumprimento da legislação inclusiva para garantir o atendimento adequado aos surdos e portadores de deficiência auditiva, que buscam os serviços públicos.

Durante a reunião, a chefe da Ouvidoria do Detran-MA, Sue Ellen Farias, destacou que o órgão disponibiliza tradutores de libras nos setores de atendimento, na área de exame prático para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e, também, durante as provas teóricas.

“Ainda não é o ideal, mas avançamos muito. No quadro de servidores, temos 16 funcionários com curso básico de libras e também tradutores fluentes, para realizar o atendimento do surdo. O mesmo acontece na área de prova prática e durante a prova teórica. Basta fazer o agendamento para receber o atendimento especializado”, ressaltou Sue Ellen Farias.

Segundo o técnico Tiago Manoel, representante da comunidade surda, outra dificuldade seria durante a prova teórica. “Muitos surdos não conseguem tirar a carteira de motorista porque não entendem a prova, já que a linguagem utilizada pelos tradutores de libras é a linguagem padrão, que não leva em consideração as expressões regionais dos estados brasileiros”, afirmou.

A coordenadora de Habilitação do Detran-MA, Nazaré Nunes, explicou que apesar de serem casos isolados, já estão sendo adotadas providências. O sistema de provas teóricas do Detran-MA utiliza durante o exame um vídeo adaptado com um tradutor de libras para comunicação com o candidato.

“O Detran-MA está atento a essa demanda. Disponibilizamos um horário estendido para os candidatos surdos e um vídeo com tradutores que também vem sendo utilizado em outros estados do nordeste. No entanto, nosso objetivo é alinhar e avançar no atendimento, para garantir inclusão e acessibilidade a todos os candidatos da CNH e usuários do Detran-MA”, informou a coordenadora.

O defensor público do Núcleo do Idoso, da Pessoa com Deficiência e da Saúde, Benito Pereira da Silva Filho, falou sobre a importância do alinhamento de ações inclusivas entre os órgãos e a comunidade curda da capital. “A próxima etapa é uma reunião com a Direção Geral para apresentar as demandas da comunidade e tentar avançar na acessibilidade à pessoa surda aqui no Detran-MA. Dirigir é um direito essencial”, finalizou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.