Depilação a Laser – conheça o método diodo e seus cuidados

As novidades no mundo da estética são tantas que às vezes fica até difícil de acompanhar, não é mesmo? Todos os dias aparecem novas opções, novos procedimentos, e o laser é um deles. Segundo a esteticista Ângela Coelho, existem vários tipos diferentes de laser – que ajudam na remoção gradativa dos pelos -, e hoje um dos mais modernos e eficazes é o chamado “Laser de diodo”.

O laser de diodo (Vectus) é um pouco diferente dos outros tipos de laser, pois possui uma ponteira de safira que refrigera, protege a pele e diminui a dor, além de ser um laser mais potente – com quase o dobro de potência dos outros lasers – , que consegue penetrar nas camadas mais profundas da pele, atingindo o resultado desejado em menos tempo.

Outro diferencial nesse tipo de aparelho é o leitor de melanina, que emite o disparo com a intensidade certa para o tipo de pele e pelo, deixando o tratamento mais seguro. Quanto as ponteiras, ele possui duas: uma maior e outra menor, o que significa menor tempo de aplicação em grandes áreas como costas e pernas.

De acordo com a especialista, esse tipo de laser age com o calor da luz, que se propaga através do comprimento do pelo e chega ao bulbo (raiz), causando uma destruição térmica nas estruturas do fio, fazendo assim com que as células parem ou diminuam a produção da melanina e, consequentemente, o pelo fica enfraquecido e mais claro.

A quantidade de sessões vai depender de cada pessoa, mas segundo a esteticista Ângela, na primeira sessão já é possível observar a diminuição do crescimento do pelo e áreas com falhas no crescimento. “Quanto mais escuro e grosso o pelo, maior será a absorção de energia e mais rápido será o resultado. Normalmente são recomendadas em média 5 sessões por região, que são realizadas uma vez por mês. Após o tratamento, uma sessão a cada 6 meses para manutenção”, explica.

Dicas e cuidados com o tratamento a laser:

  1. Em pelos brancos ou muito claros, o laser tende a não ter tanta eficácia, já que sua ação depende da melanina e, nesse caso, há pouco pigmento. Por esse motivo, o número de sessões tende a aumentar.
  2. Não utilizar ácidos antes ou durante o tratamento.
  3. Não depilar com cera 30 dias antes do procedimento.
  4. Não se expor ao sol (antes e depois).
  5. Em caso de exposição solar, utilize sempre protetor com FPS no mínimo 30.
  6. Depilar um dia antes com lâmina no sentido do pelo, para evitar que a pele esteja sensibilizada.
  7. O tratamento é indicado para pessoas que possuem pelos encravados ou foliculite.
  8. Normalmente após a sessão o pelo atingido demora de 7 a 15 dias para cair, por isso, é legal realizar uma esfoliação 7 dias após a sessão, para ajudar a expelir os pelos que foram desprendidos pela depilação.
  9. Para amenizar o desconforto, é indicado utilizar compressas geladas nas regiões mais sensíveis.
  10. O tratamento é contraindicado para gestantes e pacientes com lesões e doenças de pele.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.