Cura gays ainda é usado na China

Cena do tratamento filmado por ativistas (Foto: Reprodução/SBS)

Há 15 anos, a China removeu a homossexualidade da lista de doenças mentais. Ainda assim, clínicas do país asiático têm oferecido e utilizado terapia de choque e drogas como ‘tratamento’ para ‘curar’ homossexuais.

Segundo o Daily Mail, práticas como choque elétrico perto dos órgãos genitais e na cabeça são comuns nestes locais. O caso foi denunciado por ativistas chineses, que defendem os direitos LGBT, e irá ao ar em um programa na TV australiana.

Usando câmeras escondidas, o ativista John Shen foi até uma dessas clínicas, a “Tianjin Mental Health Hospital” (Tianjin, China), e passou pelo ‘tratamento’. Cada sessão custa cerca de R$ 2 mil e, segundo os profissionais, apenas uma não basta.

Durante o ‘tratamento’, registrado em vídeo, uma psiquiatra explica que os choques são dados a fim de condicionar o indivíduo a evitar ‘impulsos’ e fazê-lo sentir medo.

Após denunciarem o sistema, que é ilegal, os ativistas estão recebendo ameaças e podem ser presos.

Falando ao programa, o psicoterapeuta Johnny Li afirmou que os danos causados pela terapia de choque podem ser permanentes. “Isso reforça sua falta de identidade própria e os sentimentos de rejeição… os danos podem ser de longo prazo ou mesmo durar uma vida”, explica.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.