“Consórcio Nordeste materializa cooperação e união na região”, destaca governador Flávio Dino

O governador Flávio Dino esteve em Natal (RN), nesta segunda-feira (16), para mais uma reunião de trabalho do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste. No centro do debate, com a presença da governadora do Rio Grande do Norte, Fatima Bezerra, e mais seis governadores dos estados do Nordeste, a captação de investimentos para a região e discussões sobre as propostas de reforma tributária.

“O Consórcio Nordeste materializa essa cooperação e união na Região Nordeste, visando a captação de investimentos privados para que nós tenhamos mais oportunidade para nossos empresários e trabalhadores, do mesmo modo, fortalecendo as políticas públicas que são essenciais para acesso a direitos. E também a discussão de temas nacionais, uma vez que o Consórcio, além do papel de cooperação federativa, tem essa natureza política de debate, reflexão e apresentação de propostas acerca do Brasil”, pontuou Flávio Dino.

O encontro contou com a palestra do professor Eduardo Fagnani, da Unicamp, que apresentou os detalhes da Reforma Tributária Solidária, uma alternativa à reforma em análise na Câmara dos Deputados. Sob a perspectiva de que a cobrança de impostos é, na prática, proporcionalmente maior sobre os mais pobres – considerando que os impostos indiretos (sobre o consumo) representam mais de 51% da carga tributária bruta total no Brasil – a Reforma Tributária Solidária propõe a criação de novas alíquotas de impostos de renda para aqueles que ganham acima de 40 salários mínimos e a tributação de lucros e dividendos, que estão isentos no país desde 1995. Além do Brasil, apenas a Estônia, em todo o mundo, oferece esse tipo de vantagem para os mais ricos.

Para o governador Flávio Dino, o debate é importante para alcançar um modelo mais justo aos brasileiros. “Nós temos a expectativa que dois grandes objetivos sejam atendidos: de um lado uma simplificação tributária que dê maior racionalidade ao sistema e, com isso, viabilize um sistema tributário mais adequado à hora presente do Brasil e que ajude a impulsionar a retomada do crescimento; e de outro um sistema tributário que promova combate às desigualdades, justiça social e que faça com que o que nós temos atualmente – um sistema tributário que fortalece a concentração de renda nas mãos de poucos – seja substituído por um mais consentâneo, que é a realidade da maioria dos países do mundo, em que quem ganha menos paga menos e quem ganha mais paga mais”, defendeu o governador do Maranhão.

Governador Flávio Dino cumprimenta a governadora do Rio Grande do Norte, Fatima Bezerra (Foto: GovRN)

Para Fátima Bezerra, é esse o caminho: uma reforma tributária que não penalize a maioria dos brasileiros. “Tem que ser uma reforma que não pode deixar de ver o ‘calcanhar de Aquiles’, do modelo tributário existente no nosso país, que é regressivo, em que todos nós sabemos que quem mais paga essa conta são os mais pobres e a chamada classe média. É preciso, por tanto, que nós não nos limitemos a uma reforma tributária que vise apenas simplificar tributos, é fato que isso precisa ser feito, mas precisamos inverter essa lógica”.

Outras pautas

No encontro, os governadores ainda debateram o projeto Nordeste Conectado, que visa ampliar a conexão de internet em banda larga na região. Por meio de parcerias e compartilhamento de infraestrutura, será possível ampliar os investimentos em tecnologia e o desenvolvimento regional e disponibilizar internet de alta velocidade para hospitais, rede pública de ensino e estruturas de segurança.

Os gestores estaduais também avaliaram o processo das compras coletivas para aquisição de medicamentos do componente especializado da assistência farmacêutica. Esta foi a primeira assembleia geral do Consórcio Nordeste após o lançamento do edital de compras coletivas do grupo, voltada para esse segmento.  Após o encontro no Piauí, em agosto, as Secretarias Estaduais de Saúde passaram a recolher as informações sobre as demandas locais e definiram os itens com maior potencial de atendimento à população.

A possibilidade de compra coletiva beneficia diretamente a população dos estados nordestinos e os cofres públicos com a possibilidade de redução no valor dos remédios, melhor distribuição e controle de estoque. O material adquirido poderá ser compartilhado a partir do contrato de programa assinado pelos Estados, que vale para todas as compras que serão realizadas pelo Consórcio.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.