Centro Socioeducativo da Região dos Cocais realiza I Feira de Profissões

Todo adolescente sonha em ter uma profissão que lhe possibilite a realização dos sonhos pessoais e profissionais, e com os adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa não é diferente. Pensando nisso, a unidade de internação provisória da Fundação da Criança e do Adolescente, em Timon, realizou a I Feira das Profissões do Centro Socioeducativo da Região dos Cocais, no último mês.

Idealizado pela psicóloga da unidade, Dannyara Aguiar, com o apoio da coordenadora técnica, Gessyka Alencar e da comunidade socioeducativa, o objetivo do projeto foi fomentar o desejo de mudança a partir do conhecimento sobre as diversas profissões. “Durante os atendimentos, percebi que os adolescentes tinham uma visão de mundo limitada e que conheciam poucas profissões, as opções profissionais eram sempre as mesmas. Isso motivou o desejo de apresentar para eles caminhos diferentes para suas vidas, de forma que pudessem vislumbrar um outro mundo”, explicou a psicóloga.

A iniciativa mobilizou profissionais como fotógrafo, advogado, assistente social, dentista, psicólogo do esporte, guarda municipal, nutricionista, bombeiro, jogador de futebol, músico, entre outros. Cada profissional compartilhou um pouco da sua profissão, as especificidades, os requisitos de formação e como atuar no mercado de trabalho. A cada encontro, um novo conhecimento, e uma nova perspectiva de vida foi se construindo, lições valiosas que os adolescentes anotaram com atenção.

“Foi muito importante para mim, aprendi lições de vida e conheci as atribuições de cada profissão”, disse um dos adolescentes participantes. Outro afirmou: “A Feira das profissões foi importante para entender que devemos buscar novos caminhos e seguir nossos sonhos como profissionais. Agora, já me decidi, quero ser jogador de futebol”, disse após conhecer o jogador Eduardo dos Santos, do River Atlético Clube.

O guarda civil Thyago Rocha acredita que os adolescentes aproveitaram de forma positiva a ação. “A Feira de Profissões foi uma iniciativa extraordinária, tive a oportunidade de compartilhar com os adolescentes a minha identidade e funcionalidade institucional, além de destacar a importância de se fazer as escolhas certas, tomando como base o caminho do bem. Enquanto representante da Guarda Civil de Timon, fiquei muito feliz em participar do projeto e acredito no alcance desse trabalho”, disse.

Na avaliação da psicóloga, a ação já começou a dar resultados. “Após o projeto, os socioeducandos estão desenvolvendo uma nova percepção a respeito dos estudos e do caminho profissional deles, uma perspectiva até então desconhecida para eles”, comentou.

Além de incentivar a profissionalização, a Feira repercutiu de forma positiva também na escolarização dos adolescentes. “A experiência deu mais ânimo para estudar, obter a aprovação nos testes e concluir os seus estudos. Aos poucos, esse conhecimento vai se refletir também em um projeto de vida mais consistente, reforçando o compromisso para a conclusão da medida”, destacou o diretor da unidade, Lívio Barros.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.