Cara de pau: SET diz que número de ônibus é suficiente na área Itaqui/Bacanga

Luís Siqueira: “As empresas seguem rigorosamente a quantidade de ônibus estipulada pela Prefeitura”
Luís Siqueira: “As empresas seguem rigorosamente a quantidade de ônibus estipulada pela Prefeitura” (Foto: Biné Morais / O ESTADO)

SÃO LUÍS – A justificativa de que é insuficiente o número de ônibus no sistema de transporte público que serve a área Itaqui/Bacanga para a operação dos táxis-lotação, conhecidos popularmente como “carrinhos”, foi rebatida na sexta-feira, 24, pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET).
“Se está faltando ônibus na área Itaqui/Bacanga, o que não é o caso, compete à Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes [SMTT] fazer um levantamento para a colocação de mais carros. Portanto, não se justifica a operação ilegal dos carrinhos. A Prefeitura de São Luís tem que combatê-los, conforme determina a lei”, declarou o superintendente do SET, Luís Cláudio Siqueira, elogiando a ação da SMTT realizada na terça-feira, 21, que fechou o cerco contra a operação dos “carrinhos” nos locais em que atuam na capital.
“As empresas que operam na área Itaqui/Bacanga, por exemplo, seguem rigorosamente a determinação de quantidade de ônibus exigida no contrato de concessão assinado em setembro de 2016”, explicou Luís Cláudio. Segundo ele, a operação dos carros ilegais está causando prejuízos às empresas concessionárias Taguatur e Ratrans, já que onera a tarifa calculada.

Proteção
Ainda de acordo com o superintendente do SET, a SMTT, a Polícia Militar e a Secretaria de Segurança estão realizando um trabalho para proteger os próprios usuários. “Muitos táxis-lotação não oferecem nenhuma condição de segurança e alguns são dirigidos por pessoas sem habilitação, conforme constatação nas blitze realizadas pelos órgãos competentes”, afirmou Luís Cláudio.
Segundo o SET, com a renovação e melhoria da frota de ônibus de São Luís, os usuários da área Itaqui/Bacanga receberam 25 ônibus novos com ar-condicionado. Para o sindicato, essa iniciativa demonstra que a SMTT acompanha a melhoria do serviço prestado para a população da região. A Taguatur e a Ratrans atuam em 26 bairros com uma frota de 96 ônibus.
“Em qualquer cidade civilizada do mundo, a prioridade é do transporte coletivo em detrimento do transporte individual, ou seja, a prioridade é o ônibus e não o carro particular”, finalizou o superintendente do SET.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.