Acusados de matar empresário ‘Chico Paraná’ são condenados no MA

Wanderson Ferreira de Almeida, Daiane da Silva Almeida e Eriovaldo Teodoro da Silva foram condenados a 55 anos, 2 meses e 20 dias de prisão pelo sequestro e morte de Francisco Adelino Rech em junho de 2019.

O mecânico Wanderson Ferreira de Almeida, a namorada dele, Daiane da Silva Almeida e o pedreiro Eriovaldo Teodoro da Silva foram condenados a mais de 50 anos de prisão por terem sequestrado e matado o empresário Chico Paraná em junho de 2019 na região Sul do Maranhão. O caso foi julgado em um júri singular, quando o próprio juiz toma a decisão ao analisar as provas incluídas no processo.

Na decisão, o juiz da 4ª Vara Criminal, Douglas Lima da Guia, condenou o mecânico Wanderson Ferreira de Almeida, a namorada dele, Daiane da Silva Almeida e o pedreiro Eriovaldo Teodoro da Silva a 55 anos, 2 meses e 20 dias de prisão. Os três são acusados de extorquir, sequestrar e matar o empresário da cidade de Balsas, Francisco Adelino Rech, mais conhecido como “Chico Paraná”.

O empresário foi sequestrado no dia 18 de junho de 2019 e três meses depois teve o corpo encontrado em uma chácara no município de Riachão, depois que o pedreiro Eriovaldo Teodoro indicou o local do crime. Segundo as provas incluídas no processo, Daiane Almeida que tinha um relacionamento amoroso com Chico Paraná, planejou o crime com ajuda de Wanderson Ferreira.

O processo corria em segredo de Justiça e só depois da publicação da sentença é que a imprensa teve acesso à decisão numa entrevista coletiva convocada pelo Ministério Público. O caso foi julgado pouco mais de dois anos após o crime que teve grande repercussão na época.

O promotor de Justiça, Thiago Carvalho Rohrr, que atuou no caso, disse que para esses tipos de crime não há necessidade de júri popular, o próprio juiz pode decidir depois de analisar as provas e depoimentos. Ele considerou a condenação justa. “Eu sei que não vou poder trazer o Chico Paraná de volta, mas eu tenho certeza que com essa sentença e com essa resposta conseguimos atenuar um pouco o sofrimento da família e desse crime tão bárbaro”.

Para a família de Chico Paraná, a sentença foi correta e o sentimento é de alívio. A empresária Mabel da Silva Pereira disse que sempre se sentiu confortada com o resultado da sentença. “São tantas emoções em relação a espera, o medo do julgamento. A gente fica muito feliz e agradece porque a gente foi muito acolhido”, finalizou.

Wanderson Ferreira de Almeida e Daiane da Silva Almeida vão cumprir a pena no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, onde já estão presos. Eriovaldo Teodoro da Silva vai cumprir a sua sentença em Balsas, onde está preso.

Fonte da matéria postada: G1 MA – São Luís

Foto: reprodução/ TV mirante

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.