Texas divulga vídeo de detenção de jovem negra que morreu na prisão Imagens não comprovam versão de policial que diz ter sido chutado.

As autoridades do Texas divulgaram nesta terça-feira (21) o vídeo da detenção de uma jovem negra que cometeu uma infração leve de trânsito e foi algemada por um policial, sendo encontrada morta em sua cela três dias depois.

A morte de Sandra Bland, 28 anos, no dia 13 de julho, está sendo investigada como suspeita, após as autoridades qualificarem o incidente como suicídio.

vídeo da câmera do policial branco que deteve Sandra Bland – divulgado pelo departamento de Segurança Pública do Texas – mostra o agente ordenando que a jovem saia do carro, enquanto ela protesta por ser detida apenas por não sinalizar uma mudança de faixa no trânsito.

As imagens revelam que o policial saca o que parece ser uma pistola Taser, puxa a jovem do carro e a algema em um lado da via.

O policial alega que a mulher resistiu à prisão e o chutou, mas o vídeo não revela qualquer confronto físico.

“Depois de vermos este vídeo, penso que todos concordam comigo que Sandra Bland não merecia ser detida”, disse à imprensa o senador pelo Texas Royce West após se reunir com a família da jovem.

Ela perdeu sua vida na prisão, e isto é o que precisamos olhar”, declarou o vice-governador Dan Patrick, que chamou o caso de “tragédia”.

Sandra Bland sofreu de depressão no passado, mas sua família não acredita que tenha cometido suicídio na prisão, e pediu a realização de uma autopsia independente porque não crê na conclusão do médico legista local.

“Tratando-se da Sandy que conheço isto é inconcebível”, disse sua irmã Sharon durante entrevista coletiva na véspera.

A jovem estava a ponto de começar em um novo emprego, em sua universidade na região de Houston, quando foi detida no dia 10 de julho, às 16h30 horas local. Três dias mais tarde, foi encontrada morta na cela, às 9 horas, segundo o xerife do condado de Waller.

Sandra Bland era militante do movimento “BlackLivesMatter”, nascido durante a onda de manifestações de rua após a morte de um jovem negro por um policial branco em Ferguson (Missouri).

“Não podemos deixar de ficar furiosos diante de uma situação onde, claramente, a vida dos negros não conta”, disse Sandra em um vídeo em sua conta do Facebook. “Pode estar lá, se entregar à polícia, e mesmo assim o matam”.4337933_x360

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.