Sema faz coleta para balneabilidade das praias

Uma nova etapa de análise de balneabilidade das praias de São Luís foi iniciada, nesta quarta-feira (19), pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema). Acompanhado de técnicos da Secretaria, do coordenador Regional da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Jair Tannús, e de técnicos do laboratório Ênfase, o secretário da Sema, Washington  Rio Branco, esteve nas praias da Ponta d’Areia, São Marcos, Calhau e Olho d’Água onde foram recolhidas amostras da água para saber se os trechos interditados já podem ser liberados para banho.

O diretor de Operação e Manutenção da Companhia de Águas e Esgotos do Maranhão (Caema), Cristovam Dervalmar também participou do trabalho que tem como objetivo garantir a veracidade nos resultados sobre a balneabilidade das praias, uma vez que alguns resultados deram favoráveis e outros desfavoráveis para a prática de banho. A nova etapa da análise vai durar 45 dias.

“Após termos duas análises impróprias e uma própria nós resolvemos convergir à coleta integrada no mesmo ponto, no mesmo local, no mesmo horário, nas mesmas condições de temperatura e de pressão e fazer com que essa análise seja feita pontualmente sua interpretação e os resultados dos dados elencados de forma conjunta”, explicou Washington. As análises serão feitas em laboratórios da secretaria, da Funasa e do Ênfase.  

“Praia limpa é o que importa para nós. Nós temos que fazer uma ação de política de estado e esta ação tem que ser transparente, trazer os resultados e garantir praias limpas para a população de São Luís e para os turistas que visitam nossa capital. É esta a determinação da governadora Roseana Sarney”, disse o secretário.

As praias são consideradas próprias para o banho quando, em pelo menos, 80% de conjunto de amostra obtidas ou colhidas de um mesmo local houver no máximo 1.000 NMP (Número Mais Provável) de coliformes fecais por 100ml de amostras de água.

Pelo resultado das primeiras análises, segundo informou o secretário, existe a possibilidade de nos próximos dias serem liberados para banho alguns trechos. Em um primeiro momento devem ser liberadas as praias de São Marcos, um trecho do Olho d’Água e a Litorânea.

Washington disse que as campanhas que a Companhia de Águas e Esgotos do Maranhão (Caema) tem feito de junho até agora, já estão dando resultados como a redução da carga bacteriana nas praias. “A partir daí temos que pensar em obras mais estruturantes, ou seja, recuperar as estações de tratamento de esgoto que estão ai e criar outras. As ações têm que ser integradas pelos órgãos dos governos federal e estadual e a participação da comunidade para que a gente possa reduzir essas cargas que estão poluindo as praias”, disse.

O coordenador regional da Funasa, Jair Tannús, contou que as coletas feitas no período invernoso constataram que as praias estavam impróprias para o banho e, agora que as chuvas cessaram, está sendo feito a contraprova. “No período das chuvas estouram muitos esgotos e isto contribuiu para um aumento da poluição nas praias. Acreditamos que neste período haja uma diminuição da poluição. É importante a continuidade deste trabalho agora para que, mesmo no período chuvoso, isto não volte a acontecer”, destacou.

 

Recuperação

O diretor de Operação da Caema, Cristovam Dervalmar, afirmou que ao chegar à Caema, há cerca de quatro meses, encontrou o sistema de esgotamento sanitário da cidade em uma situação muito difícil, com as estações de tratamento e elevatória paradas a cerca de dois anos. “Agora a Caema está no processo de recuperação”, contou.

“A Caema conseguiu recuperar alguns trechos em caráter emergencial como é o caso da elevatória do Rio Pimenta, na Praia do Olho d’Água, e do Rio Iemanjá e a parte toda da rede coletora do trecho da praia que deve ser concluída nos próximos dias”, completou Dervalmar.

No trecho da Avenida Litorânea e da Praia de São Marcos, segundo o diretor, foram recuperadas as elevatórias que estavam paradas, devido a problemas no sistema de bombeamento e, está em processo licitatório, a compra de novas bombas para ficarem de reserva.

“Nas outras elevatórias estamos esperando o processo licitatório para comprar os equipamentos e recuperar as estações de tratamento estão em fase de orçamento para serem restauradas até o final do ano quando, com certeza, estaremos colocando em funcionamento todas as elevatórias e as estações de tratamento”, finalizou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.