Rubens Pereira Júnior avalia crise no trânsito da capital

Em pronunciamento de hoje (11), na Assembleia Legislativa, o deputado Rubens Pereira Júnior (PC do B) afirmou que o trânsito em São Luís tem se tornado um tormento para as pessoas.

“O transporte em veículos particulares na capital atualmente é sinônimo de irritação, trânsito parado, com grandes perdas de tempo, saúde, dinheiro e muitos outros tipos de malefícios”, afirmou o comunista.

Um estudo do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em parceria com o Instituto de Pesquisas Econômicas e Aplicadas (Ipea), sobre “Impactos Sociais e Econômicos dos Acidentes de Trânsito nas Rodovias Brasileiras” revela que – além da perda de tempo – a retenção no trânsito provoca ainda o aumento do custo de operação de cada veículo – combustível e o desgaste de peças.

“Os congestionamentos trazem danos também para os governos. Cidades e estados gastam fortunas com esquemas de tráfego, engenheiros, equipamentos e guardas de trânsito”, declarou o parlamentar.

São Luis tem hoje 227 mil veículos cadastrados no Detran. Mas, somente neste ano 11.144 novos veículos foram cadastrados em São Luís segundo o Detran, uma crescimento de 28,6%.

Entre janeiro de 1988 e abril deste ano a frota da capital cresceu 622%. A quantidade de motos, carros e outros veículos, nas ruas da capital, passou de 31.422 em 1988 para 226 mil no início do mês passado.

“A Avenida São Luís Rei de França é caso exemplar. Ali era uma área sítios. Hoje, passa por um processo de verticalização. Onde antes morava uma família, passam a residir dezenas, centenas de famílias com a construção dos condomínios verticalizados. E as pessoas compram seus veículos”, disse Rubens Pereira Júnior.

Nessa mesma avenida nos últimos 10 anos, construiu-se uma universidade e mais recentemente um shopping que são grandes pólos geradores de tráfego e que representa um aumento no fluxo de veículos e de pessoas.

De acordo com o parlamentar outro problema é a ocupação das áreas de domínios – uma faixa de 5 metros na via, que possa ser utilizada no alargamento das vias – nas avenidas da capital. As avenidas Jerônimo de Albuquerque e Holandeses há exemplos clássicos de ocupação irregular da faixa de domínio.

“O recuo da faixa de domínio nessas duas vias é de 5 metros. Na Avenida Jerônimo de Albuquerque, a construtora que edifica um condomínio aqui bem próximo a Assembleia reduziu a faixa para dois metros. Na Avenida dos Holandeses o recuo é muitos casos foram transformados em estacionamentos das lojas, comércios instalados na via”, destacou o deputado do PCdoB.

O parlamentar lembrou que no âmbito do Governo Federal, o Ministério das Cidades estuda exatos 66 projetos buscando soluções para o transporte coletivo – nem um é de São Luís – com o objetivo de reduzir não somente o tempo perdido no trânsito como também a poluição do ar.

Sobre o transporte público na capital, o deputado Rubens Pereira Júnior definiu como muito ruim. “A qualidade do serviço vem caindo e há defasagem na frota. A frota tem uma idade média de 7 anos, quando o recomendável que ela tenha no máximo 5 anos. Um estudo do Sindicato das Empresas aponta uma defasagem de 173 veículos na capital”, declarou o deputado.

Segundo o deputado do PCdoB se deixarmos transporte público atraente para a população que utiliza veículos particulares para se locomover pelas cidades; se existisse um transporte publico descente e eficiente, certamente existiriam muito menos trânsito, muito menos poluição, muito menos perdas para a economia, muito menos acidentes, e o que e, o mais importante, muito menos mortes nas ruas.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.