Reciclagem de eletroeletrônicos é foco de lançamento de projeto na Vila Embratel

Pamen e a Rede Amiga da Criança realizam o lançamento do Projeto Fábrica de Desmontação neste sábado, 19/11, às 8h, no Salão da Igreja Católica Nossa Senhora do Povo, na Praça da Matriz. No projeto, adolescentes criam joias e peças artísticas a partir de componentes eletrônicos.
Contribuir para a inclusão produtiva e social de 100 adolescentes e jovens de baixa renda a partir da qualificação em metareciclagem. Esta é a proposta do Projeto Fábrica de Desmontação, que será lançado neste sábado dia 19 de novembro de 2016, às 8h, no Salão da Igreja Católica Nossa Senhora do Povo, na Praça da Matriz, S/N, próximo à Praça Sete Palmeiras ou Praça do Viva, no bairro Vila Embratel, em São Luís-MA. O projeto é realizado pela Pastoral do Menor da Área Itaqui-Bacanga (Pamen)/Centro de Promoção e Vida de Crianças e Adolescentes, articulado pela Rede Amiga da Criança e patrocinado pela Cemar via Lei Estadual de Incentivo à Cultura.
Farão parte da mesa de abertura a coordenadora do Projeto Quesia Madeira, o Executivo de Comunicação da Cemar Luiz Carlos Cardoso, representante da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo e o ex-aluno do Projeto André Lima. A programação conta com palestras de apresentação do Fábrica de Desmontação, de Empreendedorismo Juvenil com representante do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Maranhão e de Metareciclagem a partir do Projeto com a ativista de direitos humanos Ivana Braga. Haverá também exposição de peças produzidas pelo projeto.
Os participantes do Projeto aprendem a desmontar e montar máquinas reutilizando peças, atribuindo novas utilidades a componentes que, em outras situações não teriam mais uso. Há capacitação em montagem de computadores e de informática básica, competências necessárias para o desenvolvimento de algumas peças de arte.
A iniciativa ainda se constitui em uma alternativa que promove a inclusão por meio da arte, uma vez que são oferecidos os cursos de artes visuais para customização de hardware e artesania digital para criação de joias e peças utilitárias a partir de componentes eletrônicos.
As atividades do Projeto incluem também oficina de multiplicação fora de São Luís, intercâmbio no interior do Maranhão e Feira de Metareciclagem com exposição e desfile de peças produzidas nas oficinas realizadas. Além disso, são trabalhados os conceitos de empreendedorismo, empregabilidade e geração de renda no mercado cultural, com base na economia criativa e solidária.
O Projeto Fábrica de Desmontação mobiliza outros públicos como empresas de pequeno, médio e grande porte, empresários e gestores públicos, organizações não governamentais e governamentais, Fóruns e Conselhos de Direitos.
O lixo tecnológico ainda tem utilidade
Segundo estudo da Organização Internacional do Trabalho-OIT, a taxa de desemprego de jovens no Brasil deve ficar bem acima da média mundial, com tendência de agravamento por causa da crise econômica no país. O desemprego de jovens no Brasil com idade entre 15 e 24 anos atingiu 15,5% em 2015. Enquanto a taxa média mundial nessa mesma faixa etária é estimada em 13,1%, segundo o estudo Tendências Mundiais do Emprego de Jovens 2015.
A indústria eletrônica, uma das maiores e que mais crescem no mundo, gera a cada ano até 41 milhões de toneladas de lixo eletrônico de bens como computadores e celulares smartphones. Segundo previsões, este número pode chegar a 50 milhões de toneladas já em 2017, baseado em estudo do Programa Nacional das Nações Unidas para o Meio Ambiente (2015).
Se, de um lado há acumulo de equipamentos com defeitos ou desuso, na outra ponta, existem diversas pessoas, organizações e projetos que poderiam ser beneficiados por esse tipo de recurso.
Nesse cenário, o projeto Fábrica de Desmontação é uma alternativa que propõe incentivar o descarte responsável lixo tecnológico por parte de consumidores e outros setores sociais, contribuindo para a preservação ambiental, e inclusão produtiva de jovens de baixa renda no mercado profissional por meio da metareciclagem.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.