Prefeitura intensifica ações de combate ao Aedes aegypti em São Luís

 

Ação tem o objetivo de combater as chamadas arboviroses, que são doenças transmitidas por insetos, como a dengue, febre chikungunya e zika vírus

 

Até sexta-feira (29), os bairros São Francisco e Ilhinha recebem uma grande ação de limpeza urbana com o objetivo de combater o mosquito Aedes aegypti, intensificando as ações de coleta de resíduos que já é feita diariamente nestes locais.

A ação tem o objetivo de combater as chamadas arboviroses, que são doenças transmitidas por insetos, como a dengue, febre chikungunya e zika vírus, e educar a população sobre o descarte correto de resíduos sólidos.

Durante o “bota fora”, que começou nesta quarta-feira (27), os agentes de controle de arboviroses visitam ruas e avenidas dos bairros com atividades de nebulização espacial com o carro fumacê, visitas às residências para a coleta de resíduos volumosos e colocação do “Selo Legal” em estabelecimentos comerciais como borracharias, ferros-velhos e oficinas que estão seguindo as recomendações de prevenção.

Os bairros São Francisco e Ilhinha somam cerca de seis mil domicílios e mais de 20 mil moradores. A Avenida Ferreira Gular, na Ilhinha, tem pontos de descarte irregular de resíduos sólidos, apesar de a coleta ser diária e realizada duas vezes ao dia na localidade.

Os bairros São Francisco e Ilhinha somam cerca de seis mil domicílios e mais de 20 mil moradores (Foto: Divulgação / Secom)

Os bairros São Francisco e Ilhinha somam cerca de seis mil domicílios e mais de 20 mil moradores (Foto: Divulgação / Secom)

No primeiro dia da ação, as equipes da Vigilância Sanitária inspecionaram as borracharias situadas nos bairros para a concessão do “Selo Legal”. O selo é entregue a estabelecimentos comerciais como borracharias, ferros-velhos e oficinas que estão seguindo as recomendações de prevenção da Prefeitura.

O borracheiro Evandro Lopes é dono de uma borracharia na Avenida Ana Jansen e seu estabelecimento já havia sido inspecionado. Na época, ele foi notificado porque não cumpria todas as normas exigidas pela Vigilância Sanitária. “Ele fez muitas melhorias desde a nossa última inspeção, mas ainda tem algumas adequações que precisam ser feitas. Nós o orientamos e vamos voltar aqui novamente para verificar se ele está seguindo todas as normas”, explicou Pedro Tavares.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: G1

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.