Laudo aponta que não houve estupro em criança recém-nascida

O resultado preliminar e informal do IML constatou que não houve nenhum indício de que a criança B.S.S com 42 dias de nascido teria sofrido abusos sexuais e conseqüentemente que isso seria a causa da morte do bebê.

O que não quer dizer que não possa ter sofrido nenhum abuso porque já tem dias. Mas se sofreu não foi à causa da morte e, segundo o laudo não dá mais para pegar esses vestígios.

A causa da morte o médico ainda ia tentar ver se era possível verificar dados no estado de putrefação do corpo.

Os médicos da cidade de Imperatriz que falaram à mãe que a criança poderia ter sofrido abuso serão ouvidos pela Regional de Imperatriz.  Uma vez que a documentação preenchida pela mãe na presença de uma médica e assistente social aponta o suposto abuso.

O Inquérito policial competente será instaurado após a chegada do laudo definitivo para verificar se a criança realmente sofreu abuso ou não.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.