João Batista destaca monografia produzida por estudante de Imperatriz

Monografia de conclusão de curso, produzida por uma estudante de Imperatriz, vai virar projeto de lei municipal. O autor da iniciativa será um vereador que atenderá ao pleito do deputado João Batista (PP), inspirado no trabalho monográfico da aluna Alessandra Silva Oliveira. A monografia aborda a falta de legislação específica para a administração de cemitérios em várias cidades do Maranhão.

 

Com o tema “Cemitério. Afinal de contas de que forma as cidades do Maranhão estão a administrar os seus cemitérios?”, a estudante de Imperatriz aprofundou sua pesquisa no cemitério “Parque dos Anjos”, em Imperatriz, no qual os sepultamos são feitos em covas que se transformam, com o tempo, em cacimbas (pequenos poços de água), ocorrendo o processo de “saponificação”. Tudo isso acontece porque o local escolhido para enterrar os mortos está localizado sobre um lençol freático quase na superfície da terra.

 

Na sessão de hoje (terça-feira, 6), o assunto foi abordado com muita sensibilidade pelo deputado João Batista, o qual destacou a importância que um trabalho de conclusão apresentada por uma estudante de Imperatriz pode trazer para todo o estado. “E isto acontece não somente em Imperatriz, mas em diversos municípios brasileiros. Tudo porque não foi criada uma legislação específica no que se refere a cemitérios”, esclareceu.

 

Segundo João Batista, a falta de leis específicas para cemitérios provoca situações constrangedoras para os familiares dos mortos que têm a infelicidade de sepultar um ente querido e depois de dois, três ou quatro anos não o encontra porque não há uma organização.

 

O trabalho realizado pela estudante, cujo conteúdo traz referências à necessidade de uma lei municipal regulamentando a construção de cemitérios na cidade de Imperatriz, recebeu elogios do deputado João Batista. “Quando se perde alguém e tem sentimento ainda muito vivo dentro da gente, desejamos que os restos mortais dos entes queridos possam estar em um local onde realmente descansem em paz”.

 

“Eu quero ressaltar a minha admiração pelo fato dessa aluna ter tido tanto capricho, tanta vontade de realizar um trabalho tão belo. O que acontece com ela, eu tenho certeza absoluta, acontece com tantos outros estudantes que dedicam parte da vida a elaborar um trabalho monográfico, que muitas das vezes poderia ser aproveitado como este que eu tenho certeza que será”, destacou João Batista.

 

Na esteira do seu discurso, ele defendeu que o Governo do Estado e Prefeituras adotem mecanismos no âmbito das esferas administrativas para, de alguma forma, dar encaminhamento aos conhecimentos produzidos no meio acadêmico.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.