Graça Paz denuncia precariedade em escolas maranhenses

A deputada Graça Paz (PDT) denunciou hoje (25), no plenário da Assembleia Legislativa, a precariedade da educação no Maranhão, especialmente nos municípios de Governador Eugênio Barros e Governador Luís Rocha. Em ambos, o maior problema é a falta de respeito dos prefeitos para com os professores.

Segundo a parlamentar pedetista, em Eugênio Barros o prefeito se recusa a conceder reajuste para os professores e ainda lhes tirou o direito de fazer greve. Já em Governador Luís Rocha, o prefeito está querendo diminuir o salário dos professores. “Isso é lamentável porque o que eu vi no município foi uma escola totalmente acabada, sem limpeza externa, cheia de mato por todos os lados e uma pequena biblioteca abandonada, sem qualquer limpeza”, afirmou.

A deputada lembrou que o seu papel, enquanto parlamentar da oposição, não é apenas denunciar, mas cobrar solução e resolver os problemas. Neste sentido, disse que também está pronta para aplaudir quando o governo ou qualquer um dos seus representantes soluciona um problema que esteja prejudicando setores da sociedade, como é o caso das escolas precárias do interior do Maranhão. Ela destacou que também recebeu denúncias de outros municípios, a exemplo de Mirinzal e Porto Rico, cujos estudantes estão assistindo aulas sentados no chão.

Ainda sobre a precariedade do setor educacional, a deputada Graça Paz também fez referências a um artigo de Milu Vilela e Mozart Neves Ramos, membros do movimento Todos pela Educação, com o título: “Educação mobilizando o Brasil”, o qual revela que a cada dia fica mais evidente que o próximo desafio para o país é a oferta de educação de qualidade para todos os brasileiros.

“Hoje é consenso que sem educação será difícil alinhar o desenvolvimento econômico e os ventos de prosperidade. Somente a educação é capaz de promover a construção de um país mais justo para todos”, destaca o artigo.

O texto ressalta, ainda, que a cada ano de estudo produz o impacto de 15% na renda média do trabalhador brasileiro. “Se no passado havia falta de oportunidade de emprego no mercado de trabalho, agora há falta de gente qualificada para aproveitá-la. A precariedade do ensino parece ser o grande entrave para o crescimento sustentável para o Brasil”.

Finalizando, Graça Paz explicou que o grande salto na educação só ocorrerá quando o país, definitivamente, valorizar os seus professores, o que é fundamental para atrair os jovens mais talentosos e preparados do ensino médio para o magistério.

Segundo ela, a receita para isso já é bem conhecida: salários iniciais atraentes, carreiras promissoras, formação inicial sólida e condições de trabalho apropriadas.

“Foi assim que fizeram os países que estão no topo da educação mundial. Uma coisa é certa, o grande salto na educação, no Brasil, só ocorrerá, quando houver a valorização definitiva do trabalho dos professores”, disse Graça Paz.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.