Governo promove 1º Seminário de Sensibilização ao Dia Mundial da Prematuridade

Para ampliar o debate sobre os protocolos de atendimento e condutas que envolvem o parto e o cuidado com bebês prematuros, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), realiza, nesta sexta-feira (18) o 1º Seminário de Sensibilização ao Dia Mundial da Prematuridade, das 8h às 17h, na Maternidade Marly Sarney, em São Luís.

Com palestras que envolvem diversos setores da Maternidade Marly Sarney que efetuam o atendimento de prematuros, o seminário reforçará o conhecimento na área para ampliar a qualidade do atendimento desses pacientes e seus familiares. Além da equipe multidisciplinar da própria unidade, também participarão do evento os profissionais das maternidades Benedito Leite e Nossa Senhora da Penha e do Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos.

Hoje nós já trabalhamos com todos os protocolos, como o Método Canguru e, mais recentemente, a colostroterapia, implantada no início deste ano e que auxilia o desenvolvimento dos recém-nascidos”, explicou Márcia Cunha, supervisora da UTI neonatal da Maternidade Marly Sarney. A colostroterapia é um método terapêutico que consiste na utilização do colostro – produzido pela mama – como suplemento imunológico, antes do leite materno.

Boas práticas

Entre outros temas, as palestras abordarão os desafios para as boas práticas do parto e do nascimento, o cuidado canguru como inovação e tecnologia na assistência ao recém-nascido, aspectos psicológicos dos pais diante da prematuridade, triagem neonatal e a atuação do fisioterapeuta na UTI neonatal.

As maternidades Marly Sarney, Benedito Leite e Nossa Senhora da Penha, além do Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, estão sob gestão do Instituto Acqua.

Prematuridade

 

O recém-nascido prematuro é aquele que nasce antes de completar 37 semanas de gestação, tanto por fatores maternos quanto do próprio feto. Apenas 30% dos casos de nascimentos prematuros têm explicação científica. Entre os fatores de risco que favorecem esse tipo de nascimento, destacam-se: mulheres que já tiveram um parto prematuro anteriormente, grávidas de gêmeos ou múltiplos, gestantes com problemas de colo do útero ou do próprio útero, ausência de controle pré-natal, uso de cigarro, álcool e/ou drogas durante a gestação e estresse, entre outros.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.