Governo do Estado quer coordenação do DNOCS no Maranhão

A criação de uma coordenação estadual do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) no Estado do Maranhão foi um dos assuntos tratados pelo secretário da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), Afonso Ribeiro, em encontro na última quinta-feira (13), em Fortaleza, com o diretor-presidente do Dnocs, Elias Fernandes Neto. O presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), Fernando Tadeu Mendonça Lima, também participou do encontro.

O Maranhão é o único estado do Nordeste que não tem uma coordenação própria do Dnocs. Os trabalhos do departamento no estado são realizados pela coordenação do Piauí. O diretor-presidente do Dnocs nacional se mostrou favorável à criação de uma coordenação no Maranhão. “Não faz sentido um estado cuidar do outro”, declarou Elias Fernandes.

O secretário Afonso Ribeiro disse que é intenção da governadora Roseana Sarney levar esta demanda ao governo federal. “Vamos pleitear não apenas um escritório subordinado a outra coordenação, mas uma estrutura semelhante à dos outros estados, com autonomia orçamentária e financeira”, afirmou o secretário.

Barragem do Rio Flores

No encontro, também foi discutida a recuperação da barragem do Rio Flores, localizada entre os municípios de Joselândia e Santo Antônio dos Lopes. Em uma vistoria realizada em junho, técnicos do Crea-MA e do Dnocs identificaram problemas estruturais na barragem. De acordo com o laudo técnico, a estrutura está bastante comprometida, o que pode ocasionar um rompimento e consequente inundação de municípios vizinhos e até da região da Baixada Maranhense.

Afonso Ribeiro informou que o Ministério da Integração Nacional/Gabinete Civil da Presidência da República já alocou recursos de R$ 500 mil para a revitalização da barragem do Flores e R$ 53 mil para a barragem de Pericumã.

Ele explicou que está sendo feito um estudo de viabilização para a instalação de duas turbinas no Rio Flores, para aproveitamento do potencial hidrelétrico da barragem. “Eu visitei os três perímetros irrigados, que são Flores, Salangô e Tabuleiro de São Bernardo, e estamos pleiteando recursos junto ao Dnocs para restauração e conclusão de infraestrutura de todos os perímetros, como também para consolidar o trabalho do consórcio Magno-Cetred, responsável pela  assistência técnica nos perímetros”, acrescentou o secretário.

Sistema de irrigação

Foi solicitada ainda ao Dnocs a reconversão do sistema de irrigação do Projeto Flores. Atualmente é utilizada a aspersão convencional, que será substituída pelo sistema de gotejamento e microaspersão. “Está vindo um engenheiro elétrico para elaborar o plano de eficiência energético para reduzir os custos de energia elétrica nos três perímetros”, informou o chefe do Departamento de Agricultura Irrigada da Sagrima, Laniel Amorim, que também participou da reunião em Fortaleza.

Outro ponto que teve destaque durante a reunião foi o pedido de licitação para venda de lotes empresariais no perímetro de São Bernardo, o que vai minimizar os custos de energia elétrica, já que os novos proprietários dividirão as despesas com energia, operação e manutenção do perímetro. Além disso, com uma estrutura empresarial, os irrigantes que já estão nos perímetros vão poder desenvolver as atividades com mais organização, ampliando sua participação de mercado, alcançando o agronegócio.

Produção

Para diversificar a produção nos perímetros irrigados onde agricultores cultivam o arroz (Salangô), banana, melancia, maracujá, macaxeira e milho (Tabuleiro de São Bernardo) e banana (Flores), está prevista a implantação de projetos de piscicultura em tanque-rede nos canais de irrigação.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.