Flamengo vence mais uma fora de casa e mantém foco no G4

A tarde foi de recorde de público no Couto Pereira, com 17.606 torcedores, melhor número no Brasileirão e 2º melhor do ano. Ao final da partida, porém, nada de festa. É que o Coritiba manteve contra o Flamengo a série de altos e baixos e acabou sofrendo sua primeira derrota como mandante na competição. Guerrero e Marcelo Cirino foram os “culpados” pela tragédia coxa-branca, construindo a vitória dos cariocas por 2 a 0.

Com a derrota dentro de casa, o time do Alto da Glória estaciona nos 18 pontos e cai para a 16ª colocação, apenas um ponto a frente do Santa Cruz, primeiro time na zona de rebaixamento. Já o rubro-negro carioca sobe à quinta colocação com 30 pontos, ficando atrás do Grêmio, 4º colocado, no saldo de gols (9 contra 2). Já são quaro jogos sem derrota dos comandados de Zé Ricardo.

O Jogo
Para o duelo contra o Flamengo, o grande trunfo do Coritiba era a inédita repetição da escalação da equipe, com a recuperação de Juninho e Kléber. Com isso, o time que entrou em campo era o mesmo que na última rodada havia vencido o Santa Cruz fora de casa (1 a 0). Já os cariocas contavam com o retorno do meia-atacante Everton (ex-Paraná e Atlético), mas teve de lidar com a ausência do lateral-esquerdo Jorge, com dores no joelho. Com isso, Chiquinho ganhou a titularidade.
A primeira etapa, contudo, foi de pouca emoção e muita marcação, com somente sete finalizações a gol – quatro do Coritiba (todas fora da meta) e três do Flamengo (uma no alvo) – e uma única oportunidade real de gol, aos quatro minutos, com Carlinhos batendo para fora após boa tabela com Kléber.
Cerca de dez minutos depois, Alan Santos sentiu uma lesão e precisou deixar o campo, sendo substituído pelo jovem Iago, o que fez com que o Coxa perdesse qualidade na saída de bola. Para piorar, o time insistia demais nas jogadas pelo meio, facilitando a marcação adversária. Não à toa na 1ª etapa os visitantes somaram 61% da posse de bola.
Se na primeira etapa o destaque dos dois times foi a marcação, na segunda etapa foi justamente um erro do setor defensivo que possibilitou a inauguração do marcador. João Paulo errou no meio de campo, Mancuello acionou Guerrero, que contou com a complacência de Luccas Claro para finalizar com precisão cirúrgica no cantinho de Wilson e abrir o placar no Couto Pereira.
Em vantagem, o Flamengo recuou e chamou o Coxa para seu campo. Para ganhar força no contra-ataque, Zé Ricardo sacou Mancuello e promoveu a entrada de Marcelo Cirino, ex-Atlético. Antes, Juan, lesionado, já havia saído para a entrada de Donatti, e aos 37 minutos foi vez do meia Alan Patrick sair para a entrada do volante Cuéllar.

 Em vez de oportunidades de gol para os donos da casa, porém, o que ficou evidente foi a fragilidade coxa-branca na criação de jogadas. Embora tenha equilibrado na posse de bola (fechou a partida com 45%), o time não conseguiu superar a marcação adversária e faltou pontaria nos chutes de fora. Ao apito final, haviam sido x finalizações do Coxa, sendo apenas  na meta.
Já no final da partida, aos 43 minutos, o ex-atleticano Marcelo Cirino aproveitou outra falha da zaga coxa-branca, que só assistiu a jogada flamenguista, e matou a partida. Foi a segunda finalização flamenguista na meta na 2ª etapa, a terceira em toda a partida.

 

Coritiba 0 x 2Flamengo

Coritiba: Wilson; Ceará (Bernardo), Luccas Claro, Juninho e Carlinhos; Edinho, João Paulo e Alan Santos (Iago Dias) e Raphael Veiga (Felipe Amorim); Kazime Kléber. Técnico: Pachequinho.
Flamengo: Alex Muralha; Pará, Réver, Juan (Donatti) e Chiquinho; Márcio Araújo, William Arão, Alan Patrick (Cuéllar), Mancuello (Marcelo Cirino) e Everton; Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.
Gols: Guerrero (7-2º) e Marcelo Cirino (43-2º)
Cartões amarelos: Guerrero (F); Luccas Claro (C)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG)
Público: 17.606 total (16.177 pagantes)
Renda: R$ 616.520,00
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba, domingo, às 16 horas

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.