Edivaldo: área da saúde é o maior engodo do governo

O líder da Oposição na Assembleia Legislativa, deputado Edivaldo Holanda (PTC), analisou nesta quarta-feira (14) o primeiro ano da administração de Roseana Sarney, após a cassação do governador Jackson Lago, enfatizando que há um fracasso absoluto em todas as áreas do atual governo. Para o líder oposicionista, o maior engodo do governo Roseana é exatamente a farsa construída com o anúncio de 75 hospitais.

 

“Roseana faz um ano de governo. São 365 dias de absolutamente nada, a não ser o fracasso absoluto em todas as áreas deste governo, e o maior engodo desse governo, que são muitos, é exatamente a farsa dos 75 hospitais”, afirmou Edivaldo Holanda na tribuna.

 

Ele explicou que inicialmente o então secretário de Saúde, Ricardo Murad, anunciou 65 hospitais, mas depois foram acrescidos mais 10 hospitais de alta complexidade e de grande porte, e os primeiros recursos declarados para estes hospitais foram da ordem de R$ 350 milhões. Dois meses antes de deixar o governo, Ricardo Murad anunciou mais R$ 150 milhões para incrementar estes hospitais, chegando à cifra de cerca de R$ 500 milhões, dos quais R$ 15 milhões seriam destinados somente para a elaboração de projetos.

 

Para o líder oposicionista, “a saúde no Maranhão é um desastre, pois a lógica aqui foi invertida, e nós denunciamos o risco da inversão da lógica do SUS: recursos foram cortados de cidades importantes como Caxias e Porto Franco”. O deputado lembrou que, imediatamente após a cassação do governador Jackson Lago, o governo Roseana cortou 63% dos recursos do Hospital de Porto Franco, que atendia a uma população de cerca de 100 mil pessoas.

 

Por essa razão, o Hospital praticamente fechou, a maioria dos médicos teve que sair do hospital, e até o Governo do Estado rompeu unilateralmente o convênio do SUS cortando cerca de R$ 40 mil do Samu de Porto Franco. Posteriormente, segundo o deputado, a mesma situação repetiu-se em vários outros municípios do Maranhão. De tal forma que a tragédia de dezenas de crianças e jovens mortos nos hospitais de Imperatriz começou em Porto Franco, quando a governadora Roseana, através do secretário Ricardo Murad, retirou os recursos do SUS, retirou os recursos do Samu e deixou a população até mesmo sem ambulâncias.

 

Exibindo exemplares do Diário Oficial do Estado, Edivaldo Holanda foi enfático ao dizer que, sob a gestão de Ricardo Murad, a Secretaria de Saúde transformou-se em uma espécie de Secretaria de Infraestrutura. “O governo só enxerga construção, estruturas onde possa gastar os R$ 500 milhões. Ainda assim, dos 75 hospitais que seriam construídos em 10 meses, o governo Roseana não conseguiu edificar nenhum até agora. De resto, neste ano de governo, nestes 365 dias de governo, só nos restaram desesperanças e decepções”, enfatizou o líder da Oposição.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.