Redes Sociais

Direção do Materno Infantil tenta explicar sumiço do corpo do bebê de dentro do hospital

Corpo de bebê desaparece do Hospital Materno Infantil, em São Luís
Foto: Flora Dolores/O Estado

SÃO LUÍS – O corpo de uma criança, que nasceu morta na última terça-feira (19), desapareceu do Hospital Materno Infantil, o qual faz parte do Hospital Universitário da UFMA Presidente Dutra (HUUFMA).

Segundo informações da superintendente do HUUFMA, Joyce Lages, ainda na terça-feira (19), o corpo da criança foi enviado para a câmara fria do hospital. E, na quarta-feira (20), a equipe constatou que o corpo não estava mais na câmara.

“O hospital fez diligência para saber o que houve. O que foi identificado no sistema de monitoramento foi a entrada de um funcionário da higienização. Nós descobrimos que o funcionário era novo no hospital e foi a primeira vez que ele entrou no local e não estava devidamente capacitado. Temos a impressão que isso teve relação com o ocorrido. Mas, quem vai dizer de fato é a investigação”, explicou Joyce Lages.

Ainda de acordo com a superintendente, o hospital fez um Boletim de Ocorrência na Polícia Federal, notificou a empresa responsável pela limpeza e abriu um processo https://www.atosefatos.jor.br/wp-content/uploads/2023/03/voz_do_brasil_1711222143-1024×613-1.jpgistrativo para apurar o caso.

O pai da criança, identificado com Acsuel José Pereira, falou que participou do parto da mulher Edinete Francisca dos Santos, de 32 anos. O casal já tinha ciência que a menina estava morta, mas queria pelo menos fazer um enterro digno. “No entanto, acabaram dando fim no corpo dela ou até mesmo queimaram”, lamentou o pai.

Acsuel disse, ainda, que só na noite dessa quinta (21) que a direção do hospital informou que a criança tinha desaparecido, sendo que o corpo pode ter sido levado com o lixo hospitalar para ser queimado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *