Delegado do Anjo da Guarda diz que evangélica pode ter sido morta por engano

Maria Celeste Penha Siqueira,Evangélica-Maria-Celeste.IMG-20150727-WA0015 (2) 46 anos de idade , sempre costumava ficar um pouco na porta de casa, após chegar da igreja  Assembleia de Deus, onde se congregava, na Rua do Japão, no bairro do Anjo da Guarda, mas na noite deste domingo (26),ela foi mais uma vítima de criminosos, sendo eles menores de idade,  que haviam acabado de tomar um carro de assalto  uma senhora no bairro do  São Cristóvão  para meter o bicho na cidade , onde resolveram por uma triste  coincidência da vida,   dar de frente com a  evangélica, que estava na porta de sua  casa, na rua das Laranjeiras. Segundo testemunhas, três elementos  chegaram em um automóvel modelo Fiesta, de cor vermelho, e queriam roubar o celular de Maria Celeste – que estava acompanhada de um enteado –, que tentou voltar para casa e escapar do assalto. Ela foi atingida com um tiro nas costas e o aparelho foi levado pelos bandidos.
A mesma foi velada na Rua João Castelo, na sede da Igreja Assembleia de Deus. O sepultamento será na manhã desta terça -feira no cemitério do Residencial Paraíso
Latrocínio descartado  
Segundo o delegado Walter Wanderlei, do 5º DP, em uma entrevista ao jornalista Marcial Lima, disse  que o crime pode esta relacionado com execução, ja que o veiculo foi abandonado no bairro do Alto da Esperança, onde um dos bandidos disse, “Porra caralho, matamos a pessoa errada  não era aquela”  enquanto o outro diz “viemos pra matar!!”
O delegado também questionou a liberação do veiculo que seria utilizado pelo criminosos, encontrado nas imediações do Alto da Esperança, e apreendido pela policia, sendo mais tarde liberado, sem nenhuma justificativa  por parte do delegado de plantão. A revolta de Valter Wanderley é porque o veiculo poderia reunir  provas que pudesse ajudar nas investigações, mas de forma suspeita o carro foi liberado na Delegacia do 16º DP da Vila Embratel e nenhuma explicação foi  dada e nem os reais motivos da suposta liberação

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.