Chico Gomes lembra os 199 anos de Grajaú e destaca ações

Os 199 anos de fundação da cidade de Grajaú, transcorridos nesta quinta-feira (29), foram lembrados com entusiasmo pelo líder do governo, deputado Francisco Gomes (DEM). “Com suas terras férteis, seus minérios e tantas outras riquezas Grajaú avança como um pólo de desenvolvimento regional, como referência na área de Turismo e Educação”.

Gomes lembrou a origem do município, desde a época do lugarejo denominado Fazenda Chapada, localizado em um lugar mais conhecido como Porto das Chapadas, às margens do rio Grajaú, referência pela criação de gado e conflito entre os conquistadores e os índios Timbiras, impasse que resultou na dizimação de parcela da população.

“Anos depois, os moradores remanescentes continuaram a edificar aquela povoação, dando-lhe o nome de São Paulo do Norte. Em seguida foi elevada à categoria Vila, passando a chamar-se Vila da Chapada”, narrou.

Por meio de uma companhia de vapor e do porto fluvial foi feita a ligação direta entre Grajaú e São Luís, conquistas que impulsionaram o comércio na região. “Grajaú passou a ter então uma importância vital para todo o Sertão Maranhense, até Pastos Bons, de onde se originou Grajaú”.

A decadência do porto, que perdeu sua importância estratégica em função das estradas construídas, se refletiu no ritmo de crescimento. Segundo Chico Gomes, o período de transição acabou por estagnar a cidade durante vários anos. “Mas o cruzamento de duas estradas, a BR-226, construída no primeiro governo Roseana Sarney, e a MA-006, deu nova vitalidade a Grajaú”.

DESTAQUE

O trabalho desenvolvido pelo prefeito Mercial Arruda, especialmente na área do ensino, mereceu destaque no discurso de Chico Gomes. “Com o apoio da Prefeitura, Grajaú vai sediar um centro universitário, ligado à UEMA, com cursos regulares, como Enfermagem e Zootecnia”. Acrescente-se ainda a implantação no município do Projeto Darcy Ribeiro, que oferece cinco cursos de formação de professores.

Segundo Chico Gomes, investimentos dessa natureza fortalecem a condição de Grajaú como pólo educacional, comercial e administrativo, além de oferecer um suporte seguro para que a cidade, considerando-se a sua localização geográfica, se torne capital do Maranhão do Sul, na hipótese de desmembramento do Estado.

Por fim, Chico Gomes citou o pólo gesseiro do município, considerado o segundo maior do Brasil, gerando 3.500 empregos e “contribuindo para melhorar a qualidade de vida daquela população”. E, de modo especial, saudou as comunidades indígenas, “que vivem tão bem hoje, numa convivência pacífica com os demais povos”. Lembrou que ficou emocionado, quando durante a solenidade de inauguração do Distrito Industrial de Grajaú, o hino do município foi entoado em Tupi por índios da aldeia de Ipu. “Aquilo deu um novo tom de convivência entre os habitantes da região”.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.