Campanha de vacinação contra a gripe A encerra-se nesta sexta

BRASÍLIA – Hoje é o último dia da campanha nacional de vacinação contra a gripe suína, ou Influenza A (H1N1). O Ministério da Saúde informou, na quinta-feira (20), que ainda não trabalha com a possibilidade de prorrogar o prazo, mesmo que a meta de imunização de 80% das pessoas ainda não tenha sido atingida para quatro dos sete públicos definidos pelo governo.

A recomendação do Ministério aos Estados e municípios que ainda não atingiram as metas é que montem estratégias para alcançar o objetivo até o prazo estipulado. Além disso, o governo alerta os responsáveis por crianças entre 6 meses e 2 anos de idade a aplicar a segunda meia dose da vacina, trinta dias depois da aplicação da primeira.

Segundo último balanço do Ministério da Saúde, até o dia 14, já haviam sido aplicadas 57 milhões de doses –a meta é chegar a 72 milhões. O levantamento ainda indica que a última fase da campanha, com foco nos adultos de 30 a 39 anos, foi a que teve, até o momento, o menor índice de adesão. Dos 30 milhões de brasileiros nesta faixa etária, o ministério pretende vacinar pelo menos 24 milhões. Até a semana passada, somente 8 milhões de doses foram aplicadas nesse grupo –o que representa apenas 27% da meta proposta pelo governo.

Os profissionais de saúde, as crianças menores de 2 anos e os indígenas já superaram a meta e vacinaram 100% do público-alvo. Nos demais grupos, o ministério contabiliza a vacinação de 86% dos portadores de doenças crônicas (18,1 milhões), 66% das gestantes (2 milhões) e 75% de adultos de 20 a 29 anos (26,4 milhões).

Gripe comum

Nas regiões Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste também está em curso a vacinação contra gripe comum para idosos. Eles também têm até hoje para procurar os postos de saúde e receber a dose, antes da chegada do inverno. A etapa, que começou mais tarde nessas regiões devido ao atraso na entrega das vacinas pelo Instituto Butantan, já vacinou quase 9 milhões de pessoas com 60 anos ou mais.

Os idosos portadores de doenças crônicas também devem ser imunizados contra a gripe H1N1.

Casos de gripe suína

Foram registradas neste ano, até o dia 8 de maio, 540 internações pelo H1N1 no país. Desse total, 60,5% apresentavam pelo menos uma condição de risco para gravidade, e 17,5% eram mulheres grávidas. Em relação às mortes, houve um total de 64. As mulheres correspondem a 75% do total e as gestantes, a 30%.

No ano passado, de 2.051 mortes registradas, 75% ocorreram em pessoas com doenças crônicas. Entre as grávidas, a letalidade nos casos graves foi 50% maior do que na população geral. Adultos de 20 a 29 anos concentraram 20% dos óbitos. Os adultos entre 30 e 39 anos representam 22% do total. Por fim, as crianças menores de dois anos tiveram a maior taxa de incidência de complicações no ano passado (154 casos por 100 mil habitantes).

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.