Black Friday no Maranhão faz clientes formarem filas em portas de lojas

Supermercados e shoppings de São Luís abriram mais cedo que o comum.
Shopping resolveu liberar o estacionamento desta sexta-feira até domingo.

SÃO LUIS amanheceu com grandes filas nas portas de estabelecimentos como supermercados e lojas que aderiram à moda do Black Friday. Quem já está acostumado com este movimento, diz que faz pesquisa de preço há meses e ainda tem pequeno comerciante que aproveita o embalo para divulgar a loja e aumentar a clientela.

Por conta desta sexta-feira de promoções anunciadas pelos estabelecimentos, supermercados e shoppings de São Luís abriram mais cedo que o comum. Um supermercado começou a funcionar às 6h e um shopping iniciou o atendimento ao público às 8h. Ainda na capital, um shopping resolveu liberar o estacionamento desta sexta-feira até domingo para atrair mais clientes.

O representante comercial, Luís Alberto Silva, de 46 anos, disse que ultimamente tem gostado das oportunidades do Black Friday. “Quando começou aqui no Brasil, há três anos, eu não acreditava muito, mas hoje eu estou acreditando, pois as promoções existem”, declarou.

O microempresário Jefferson Alan Costa, de 38 anos, resolveu participar do período de promoções com sua loja de eletrônicos. “Minha loja é menor, de bairro, e vejo que essa promoção é mais feita pelas grandes redes. No meu caso, aproveito mais para divulgação da loja do que propriamente a venda em larga escala”, disse.

O principal alvo dos consumidores costuma ser os eletroeletrônicos, no entanto uma rede de varejo estendeu a promoção e anunciou a queda nos preços também nos gêneros alimentícios.
Todas estas promoções por conta da concorrência cada vez maior com lojas de outros estados, que ficam mais acessíveis aos maranhenses por meio da internet, e no Black Friday a disputa por clientes no mundo virtual aumenta ainda mais.

Em Caxias, a 281 km de São Luís, a assistente social Suelma Nolêto é um exemplo disso. Quando quer comprar alguma coisa, não sai ‘batendo pernas’ por aí, prefere fazer pesquisa de preço pela internet. Tanto que já comprou uma série de mercadorias para casa desta forma.

“Eu venho pesquisando há seis meses para saber se eles vão dar aquela falsa promoção, aumentando o preço quando tiver próximo, pra no dia voltar ao preço normal. Quando eu que é possível comprar, geralmente eu guardo o valor da parcela”, explicou.

O advogado Anderson Pinto reforçou que durante este período de descontos, todos os direitos dos consumidores continuam assegurados. “O Black Friday só é uma ferramenta de aceleração do comércio. Mas o direito de arrependimento da compra e de substituição por conta de defeitos nas peças, direito de reclamação por atrasos e por não efetivação da entrega, tudo isto está assegurado”, declarou.

Mas todas estas dicas sobre o direito do consumidor só servem se a relação for com sites confiáveis. Neste período, principalmente, aumentam as armadilhas virtuais, com sites falsos, que existem apenas para lesar o consumidor.”

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.