Audiência discute melhorias para profissionais da saúde

Profissionais da área da saúde maranhense, entre eles enfermeiras, técnicos e auxiliares de enfermagem, participaram, nesta quinta-feira (13), de uma audiência pública realizada na Assembleia Legislativa para discutir melhorias para as categorias.

A audiência pública, que teve como tema “Enfermagem: O Poder do Cuidado” e que fez parte da programação da Semana da Enfermagem 2010, foi proposta pela deputada Helena Heluy (PT) e contou, ainda, com as participações do deputado Arnaldo Melo (PMDB), vice-presidente da Comissão de Saúde da AL; da deputada Gardênia Castelo (PSDB); da representante do governo do Estado, Socorro Bispo; da presidente da Associação Brasileira de Enfermagem, seção Maranhão, Rosilda Silva Dias; da presidente do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem, Lucimary Pinto; e do presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Prestadores de Serviços de Saúde, Pedro Aragão.

As discussões provocadas pelos sindicalistas e profissionais da área da Enfermagem giraram em torno de duas reivindicações que, hoje, são consideradas prioridade pela categoria em todo o país: redução da jornada de trabalho de 40 horas para 30 horas e criação do Plano Nacional de Cargos, Carreiras e Salários. Estas duas reivindicações estão tramitando no Congresso Nacional na forma de projetos de lei.

“Os profissionais que fazem parte desta categoria, devido aos baixos salários, são obrigados a trabalhar exaustivamente e acabam sendo tolhidos de praticar a cidadania, de desfrutar de mais momentos com seus familiares e até de se engajarem politicamente. Por estes motivos, estas reivindicações são fundamentais no que diz respeito a valorizar os enfermeiros, auxiliares e técnicos”, avaliou Rosilda Silva Dias.

Lucimary Pinto criticou a “onda” da terceirização dos serviços de saúde no Maranhão e avaliou que este procedimento, adotado pelo poder público, prejudica cada vez mais os profissionais da saúde. “Como não existe um piso salarial definido, estas empresas, muitas delas importadas de outros Estados, oferecem salários ainda mais baixos. A saúde pública não pode ser gerida por empresas privadas. Ela tem que ser gerida pelo poder público, que deve valorizar os profissionais desta área”, disse.

As sindicalistas, além de Pedro Aragão, elogiaram a iniciativa da Assembleia em promover o debate e dispensar uma atenção especial aos enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem. “A deputada Helena e os demais deputados que participaram desta audiência demonstraram grande interesse em ouvir os profissionais. Esta audiência serviu como um importante fórum de debate”, afirmaram os representantes das entidades.

A deputada Gardênia Castelo também elogiou a realização da audiência e garantiu ser totalmente favorável as reivindicações apresentadas pelas categorias.

Para a deputada Helena Heluy, o objetivo do encontro foi alcançado. “Os profissionais da área se fizeram presentes a tiveram a oportunidade de opinar. Nós, deputados, tivemos a oportunidade de conhecer mais profundamente a problemática e as dificuldades destas três categorias que tanto trabalham pela saúde dos maranhenses”.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.