AL discute instalações do IFMA na Reserva do Itapiracó

A Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa realizou, nesta terça-feira (20), uma reunião para discutir os projetos que estão em curso e que deverão ser instalados na Reserva do Itapiracó, em São Luís. O principal debate foi sobre a implantação de uma unidade do Instituto Federal de Educação Tecnológica do Maranhão (IFMA) na área de preservação ambiental.

O encontro acontece na própria Assembléia e foi conduzido pelo presidente da Comissão, deputado Alberto Franco (PMDB). Também participaram o secretário estadual de Meio Ambiente, Washington Rio Branco; dirigentes do IFMA e de representantes de organizações não governamentais que representam as comunidades do entorno do Itapiracó.

O projeto de construção do Núcleo de Pesquisas Ambientais Avançadas Itapiracó foi apresentado pelo diretor de Desenvolvimento do Instituto, Ozelito Possidônio do Amarante. Segundo ele, o IFMA planeja ocupar 35 dos 317 hectares da área de preservação ambiental, oferecendo cursos técnicos (em Reciclagem, em Meio Ambiente e em Controle Ambiental) e de nível superior (Curso Tecnológico em Gestão Ambiental e em Processos Ambientais). Serão formados grupos de 40 alunos e dez servidores em cada turno de funcionamento da unidade.

A intenção de Ozelito Possidônio é levar a comunidade para a reserva do Itapiracó, e envolver os estudantes em projetos ambientais como o de iluminação da área por energia solar, reutilização da água e dos resíduos sólidos, que serão transformados em adubo para as atividades de plantio visando a recomposição das áreas degradadas.

Representando a ONG Ilha Verde, o ambientalista Maurício César Cutrim da Silva revelou preocupação dos moradores do entorno com o boato de que será construído na reserva do Itapiracó um grande empreendimento turístico e que a ocupação progressiva, por meio da instalação de órgãos públicos, fragilizaria a estrutura da área de preservação ambiental.

O deputado Alberto Franco disse que embora a preocupação da comunidade seja legítima, o projeto é bom e o IFMA é uma instituição séria que deverá executá-lo pensando no bem da comunidade. “É importante ampliar essa discussão e possibilitar que a sociedade tenha maior co-responsabilidade na gestão dessas áreas de preservação ambiental”, defendeu Washington Rio Branco.

APRESENTAÇÃO

Ao final da reunião ficou acertado que o projeto será apresentado às comunidades do entorno da reserva do Itapiracó, no próximo dia 1º de maio, com a proposta de que a primeira turma de alunos seja implantada em agosto deste ano, utilizando a estrutura provisória do Núcleo de Pesquisas Ambientais Avançadas do IFMA.

No encontro na Assembléia, os representantes do instituto também falaram da proposta de instalar no prédio do antigo Colégio Maristas, no Centro, outra unidade do Instituto que oferecerá cursos de nível médio e superior na área do turismo.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.