Vitima conta como sobreviveu a explosão de gás

Rafael Araújo teve queimaduras nos braços e nas pernas

Rafael Araújo teve queimaduras nos braços e nas pernas (Foto: Rafael Araújo)

SÃO LUÍS – Sobrevivente da explosão após vazamento de gás, no dia 7 deste mês, na Cidade Operária, deu detalhes de como foi o acidente que resultou na morte do policial civil José Ribamar Pereira Sobrinho, de Waldemiro Ferreira da Silva Filho e de Rafael Oliveira da Silva, pai e filho. Rafael Araújo Pacheco, de 27 anos, teve queimaduras nos braços e nas pernas, e contou a OEstadoma.com, por meio do Facebook, como tudo ocorreu.

“Estávamos na porta, todos conversando, quando a mulher do Waldemiro estava limpando a casa, sendo que quando foi limpar o botijão de gás a mangueira do botijão soltou. E foi só o gás saindo. Quando nós entramos na casa, sendo que o policial pegou o gás e tampou. Foi quando ela acendeu a luz. E o fogo veio em cima deles e de mim”, relatou.

Segundo Rafael, como ele estava mais afastado, acabou sendo menos atingido pelo fogo. A esposa de Waldemiro, que também estava na casa, não se machucou. Já sem dores, o estudante de Pedagogia segue se recuperando bem, em casa, mas lamenta a morte dos amigos.

Perigos – A explosão na Cidade Operária chama atenção para os perigos com os botijões de gás. De acordo com o capitão Lisboa, do Corpo de Bombeiros, em geral, não é o botijão que explode, mas um vazamento de GLP que fica no ambiente e que, após alguma centelha, resulta em uma explosão ambiental. “A liberação do gás, em contato com alguma centelha, causa a explosão ambiental. Por isso, a gente orienta a instalação em ambiente externo, porque assim o GLP não se acumula no ambiente, em caso de vazamento”, explica.

De acordo com o capitão Lisboa, os cuidados com o botijão de gás devem começar desde a compra. “Sempre recomendamos que as pessoas fiquem atentas desde o momento da compra. É importante observar se o local possui certificação, porque assim o produto terá garantia. O cuidado seguinte é com a instalação, que inclui principalmente o local. Não coloque o botijão dentro de armários, por exemplo. O ideal é que ele fique no ambiente externo. Também é importante observar a mangueira (ou braçadeira) para evitar desgastes. Além disso, também é importante saber como agir em caso de vazamento”, orienta.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.