Unidade plena do Iema em São José de Ribamar será entregue no próximo dia 23

No próximo dia 23, será inaugurada a primeira unidade plena do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) no município de São José de Ribamar, para início do ano letivo em 6 de março. A partir de um modelo de educação integral, as unidades plenas oferecem ensino médio de forma simultânea à capacitação técnica.

Além de São José de Ribamar, também serão entregues, em breve, novas unidades em Coroatá, Axixá e Timon. A ampliação do Iema não só triplica o número de vagas disponíveis este ano, em relação ao ano passado, como diversifica a oferta de cursos técnicos no estado para a formação de estudantes maranhenses.

Somadas às três unidades plenas já em funcionamento de São Luís, Bacabeira e Pindaré-Mirim, o número de vagas disponíveis ao ensino integral no estado eleva-se para 1.050. As novas escolas trazem, ainda, cursos inovadores como Agricultura Orgânica, Cooperativismo e Informática Biomédica.

Desenvolvimento local

iema 5

Novo Iema ofertará aos jovens ribamarenses ensino médio de forma simultânea à capacitação técnica. (Foto: Handson Chagas)

No Iema São José de Ribamar, a grade curricular será composta pelos cursos técnicos de Agricultura Orgânica, Guia de Turismo, Eletromecânica e Informática (Manutenção de Redes). Cada curso terá capacidade para 40 alunos, totalizando 160 vagas na instituição.

De acordo com a supervisora da unidade plena, Sildilene Silva, a implantação da grade curricular foi feita mediante diálogo com a população do município. “O diferencial do Iema começa quando ele traz a comunidade para dentro da instituição, e foi o que aconteceu. Os nossos cursos, quem escolheu foi a comunidade, porque nós temos queter cursos que atendam à necessidade da região”, afirmou.

Infraestrutura

As novas escolas de educação integral contam com laboratórios, internet, biblioteca e quadra poliesportiva. No Iema São José de Ribamar, são quatro salas de aula e cinco laboratórios onde os alunos poderão aprender conteúdos teóricos e práticos.

Os prédios possuem, ainda, estrutura de refeitório para que os estudantes possam fazer as três refeições diárias, uma vez que irão permanecer, de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h nas escolas, para aprendizado do ensino médio e curso técnico da sua escolha.

Investimentos

Para manter toda essa estrutura, o Governo do Maranhão, através da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), realizará um alto investimento. O custo médio mensal de uma unidade plena do Iema, segundo o secretário Jhonatan Almada, é de R$ 243 mil, perfazendo R$ 2,9 milhões ao ano. “Somadas as sete unidades plenas em funcionamento este ano, serão R$ 20,3 milhões ao todo”, concluiu o secretário.

FONTE: GOVERNO DO ESTADO

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.