Teddy Riner fecha contrato de cinco anos com o PSG

Depois de contratar o craque brasileiro Neymar em uma transação histórica, o Paris Saint-Germain adicionou um outro medalhão ao clube. Esse, contudo, pisa em um terreno bem diferente dos gramados do futebol. Trata-se do lendário judoca francês Teddy Riner, de 28 anos, dono de três medalhas olímpicas – duas de ouro e uma de bronze – e sete títulos mundiais. “Parça” do atacante do Brasil e torcedor fanático da equipe do Parc des Princes, o atleta, que está em Budapeste, na Hungria, para a disputa do Campeonato Mundial de Judô, assinou um acordo de cinco anos para fazer parte do plantel e comandar a nova seção da arte marcial do time.

– É o começo de algo, uma saga que parece promissora. Depois de oito anos em Levallois (clube de judô onde Riner treinava), eu me recuperei e continuo. As pessoas confiam em mim. É um sopro de oxigênio – falou Riner ao periódico francês “L’Equipe”.

Apesar da ida para o Paris Saint-Germain, o bicampeão olímpico dos pesos-pesados seguirá trabalhando com seu treinador da seleção francesa, Franck Chambily, com quem está desde 2002. Os dois têm uma missão definida na cabeça, que é o tricampeonato olímpico em Tóquio 2020. Sob o comando dele, Riner tem a incrível marca de 128 vitórias seguidas. A última derrota de Riner foi na categoria absoluto (sem limite de peso para os atletas e que não é mais disputada), no Open, um torneio que definia o melhor judoca do mundo na época, em uma decisão muito contestada dos árbitros, que deram a vitória para o japonês Daiki Kamikawa, que lutava em casa, em Tóquio, no dia 13 de setembro de 2010. A decisão favorável a Kamikawa é contestada até hoje pelo francês, que bateu o rival na revanche, ocorrida em fevereiro de 2011, no Grand Slam de Paris.

A imprensa francesa está em polvorosa com a chegada de Teddy Riner ao clube para seu mais novo projeto. O site “Sports.fr”, por exemplo, afirmou que a presença do lendário judoca vai fazer com que a arte marcial “renasça das cinzas” no Paris Saint-Germain. O jornal “L’Equipe” relembrou que trata-se de um retorno, já que o lutador começou na equipe, treinando por lá dos oito aos 13 anos de idade. Os rumores de uma possível volta tinham começado no início de julho.

A seção de judô tem inicialmente apenas homens anunciados para o comando, mas, de acordo com o site francês “Sports.fr”, poderá haver uma equipe feminina também. Além da chegada de Riner, Djamel Bouras trabalhará como diretor esportivo. Ele foi do PSG na década de 1990, quando ainda existia por lá um departamento da arte marcial. Thierry Dibert, licenciado pela AC Boulogne Billancourt e tido como um dos maiores técnicos franceses de judô, será um dos técnicos. Laurent Calléja, treinador nacional de 1999 a 2007, vai comandar os treinos de Riner pessoalmente no PSG.

Amizade com Neymar

Em agosto de 2016, quando ainda defendia o Barcelona, o craque Neymar enviou uma mensagem para Teddy Riner desejando boa sorte na disputa da categoria 100kg. Acabou dando sorte, e o francês foi campeão nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Mais recentemente, foi a vez do judoca mandar um recado para o amigo. Logo depois da confirmação da contratação do ex-atleta do Barça pelo time do Parc des Princes, o lendário lutador publicou um vídeo afirmando que, quando o jogador tivesse um tempo, gostaria de entregar a ele um presente.

Fonte: Globo Esporte

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.