Taxistas de São Luís cobrarão corridas abaixo do preço de mercado hoje

 

Medida faz parte de um protesto da categoria contra o que eles chamam de “concorrência desleal” praticada por condutores de aplicativos

 

 

SÃO LUÍS

 

Parte dos taxistas da capital maranhense aplicará hoje, 25, preços de corridas abaixo do mercado. A medida faz parte de um protesto da classe contra o que eles chamam de “concorrência desleal” praticada por condutores de aplicativos na cidade. A queda no preço das corridas não tem o aval do Sindicato dos Taxistas de São Luís.

 

De acordo com a organização do movimento, cerca de 30% dos taxistas cobrarão um preço fixo de R$ 5,00 a cada cinco quilômetros de corrida. Ainda segundo os idealizadores, em um primeiro momento, não será considerada a quantidade de pessoas por viagem. Segundo os taxistas, durante as corridas, os taxímetros permanecerão desligados.

Em contato telefônico, o presidente do Sindicato dos Taxistas de São Luís, Renato Medeiros, disse a O Estado que a queda proposital nos preços é uma decisão que cabe apenas aos idealizadores da proposta. “Nós do Sindicato podemos apenas acompanhar. Há uma insatisfação muito grande quanto aos preços cobrados para pagamento de taxas ao poder público, além da concorrência que não arca com as mesmas despesas”, disse.

 

A ideia de cobrar valores fixos por corrida não é inédita no país. Representantes da classe dos taxistas em Curitiba (PR), insatisfeitos com o aumento no número de motoristas ilegais na cidade, tomaram medida semelhante. A expectativa é de que, apesar na queda nos preços, haja uma elevação no faturamento da classe.

 

Ao ser comunicada da decisão dos taxistas que cobrarão valores abaixo do mercado, a Associação dos Condutores de Aplicativos de São Luís informou que não haverá a oferta de nenhuma promoção hoje, 25, por causa da medida. “Nossa propaganda é feita no dia a dia, com a qualidade no serviço oferecida à população”, disse o representante da Associação dos Condutores de Aplicativos, Wellington Sal.

 

A polêmica entre os taxistas e os condutores apresentou mais um capítulo nesta semana. Na segunda-feira (21), os taxistas bloquearam por algumas horas uma das saídas da ponte do São Francisco, causando engarrafamentos em vários pontos da cidade. No dia seguinte, representantes do Uber realizaram protesto em frente à Câmara Municipal de São Luís.

 

Sem acordo

 

Na manhã de ontem, uma reunião na Câmara de São Luís entre taxistas e motoristas de aplicativos não selou o fim do desentendimento. De acordo com o Sindicato dos Taxistas, uma proposta de regularização do Uber foi apresentada aos taxistas que, por sua vez, ainda não se manifestaram sobre a sugestão.

 

Em abril deste ano, os vereadores de São Luís aprovaram uma lei proibindo o serviço privado de transporte de passageiros na cidade. Mesmo com a legislação, a direção nacional do Uber decidiu manter os serviços, alegando estar respaldada pela Constituição Federal. Por sua vez, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT), com base na lei, iniciou a fiscalização dos motoristas Uber. Pelo menos 17 veículos foram apreendidos e liberados apenas após o pagamento de multa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: IMIRANTE.COM

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.