Suspeito pela morte de ex-mulher confessa assassinato e detalha cena do crime

Preso nesse domingo, Adriano Alves de Oliveira deu detalhes de como tudo aconteceu.

IMPERATRIZ – O garçom Adriano Alves de Oliveira, que é apontado como autor do assassinato brutal da ex-mulher, Andressa Oliveira Araújo de 22 anos, preso na manhã desse domingo (21), foi transferido ainda ontem para a Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz (UPRI). Ele foi autuado por feminicídio e homicídio doloso, quando há a intenção de matar.

Ele foi apresentado na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa dois dias, após o crime. Adriano foi preso em sua residência, no Parque Amazonas, mesmo bairro onde ocorreu o assassinato. Com o suspeito, que sempre esteve no bairro, a polícia apreendeu a arma usada no crime, um revólver calibre 38 e cinco munições deflagradas e uma intacta.

A prisão foi efetivada após uma denúncia. Adriano Alves foi submetido, logo após ser preso a exame de corpo de delito. Em depoimento, ele confessou o assassinato, alegando ciúmes. O suspeito disse, ainda, que comprou a arma com a intenção de matar o atual namorado da ex-mulher, com quem tem dois filhos.

De forma bastante fria, Adriano deu detalhes do assassinato, ressaltando que estava sob efeito de drogas. Após cometer o crime, ele afirmou que estava escondido numa construção abandonada, próximo ao local onde matou a ex-companheira. Como estava com fome, resolveu ir em casa, sendo preso neste momento por policiais do 14º Batalhão da Polícia Militar, que se revezavam em cerco próximo a sua residência.

Adriano e Andressa estavam separado há cerca de dois meses. Desde a separação, ala estava morando da casa da mãe, com os dois filhos do casal, um menino de dois anos e uma menina de oito meses. Segundo Adriano, a separação aconteceu no dia 31 de março e ele não se conformava com a situação.

Com desculpa de ver os filhos, Adriano foi até a casa da mãe de Adriana e após uma discussão, acabou disparando dois tiros contra a vítima. Ela correu, sendo perseguida, e dentro de casa, disparou mais três tiros à queima a roupa. Andressa morreu na hora, sem tempo de ser socorrida. Adriano fugiu logo em seguida. O crime chocou a população do no Parque Amazonas.

 

 

 

FONTE: IMIRANTE.COM

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.