Suspeito de chacina no Bairro Benfica era foragido da Justiça

 

 

Único suspeito preso por envolvimento em chacina que deixou sete mortos na sexta-feira (9), em Fortaleza, havia matado um rapaz na mesma praça de um dos ataques.

 

 

O homem preso suspeito de participar na chacina do Benfica era foragido da Justiça e tinha mandados de prisão em aberto por homicídio e roubo. Ele é acusado de assassinar a tiros Renan Alves em 7 de agosto de 2017 na mesma praça por onde começaram os ataques da sexta-feira (9). O G1 apurou que os mandados de prisão preventiva foram expedidos, mas o suspeito não foi encontrado.

Sete pessoas foram assassinadas em diferentes pontos do Bairro Benfica. Três pessoas morreram na Praça da Gentilândia e outras quatro foram atingidas nas imediações da sede da Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF) na noite de sexta-feira (9). Dois torcedores seguem internados no Hospital Instituto Dr. José Frota (IJF).

A Polícia Civil prendeu o suspeito no domingo (11) por envolvimento nas mortes do Benfica e, com ele, apreendeu três armas de fogo, munição e carregadores de pistola. As investigações chegaram até ele ao encontrar um Fiat Punto, que aparecia nas imagens de câmeras de segurança próximas à sede da TUF. O suspeito estava no mesmo prédio onde o carro estava estacionado. Ele tentou fugir mas foi preso por Policiais da Divisão de Homicídio, Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas e Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas. A secretaria da Segurança não informou o nome do suspeito preso.

Grupo de estudantes protesta na Praça da Gentilândia, no Benfica, pedindo paz após chacina. (Foto: TV Verdes Mares)

Grupo de estudantes protesta na Praça da Gentilândia, no Benfica, pedindo paz após chacina. (Foto: TV Verdes Mares)

Homenagem

Estudantes fizeram um ato em lembrança da vítimas nesta segunda-feira (12). O grupo depositou velas, discursou contra a violência e fez um abraço simbólico à praça ao lado de um dos pontos do tiroteio.

Moradores da área, como a professora aposentada Helana Lutécia, também participaram. “Minha família vivi aqui no Benfica há mais de 50 anos, minha mãe mora na mesma casinha. Eu vivi isso tudo, do começo do carnaval do Benfica. O Benfica para nós é a nossa casa. Nós temos que pensar como sociedade e nos preocupar com tudo”, afirma.

Ordem de traficante

A ordem para os ataques partiu de um traficante ligado a uma facção criminosa na CPPL II, na Grande Fortaleza. “O que motivou a matança foi uma apreensão de armas e munições que pertenciam a esse traficante da facção criminosa que está preso na CPPL II. Por vingança, ele ordenou a matança”, disse.

Reação do governo

Ainda no sábado (10), o governador Camilo Santana disse que o caso era grave e uma fronta aos sistemas de segurança. “Temos a real compreensão da gravidade da situação. Tanto que tenho investido como nunca na segurança e trabalhado noite e dia. Infelizmente há uma falha geral do sistema, que envolve também as leis e a justiça. Mas não se pode conceber tanta impunidade”, disse.

À tarde, o prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio também anunciou medidas. Prefeitura informou que iria reforçar assistência aos feridos na chacina, garantir assistência psicossocial às famílias das vítimas, e mobilizar o efetivo adicional da Guarda Municipal para ações em parceria com os órgãos estaduais de segurança, além de reforçar ações de fiscalização urbana junto ao Governo do Estado.

Outras medidas de segurança:

  • Acesso a estádios mediante biometria
  • Criação de uma comissão mista parlamentar, com vereadores, deputados, membros dos clubes de futebol e da Segurança, para debater políticas de prevenção
  • Aprimorar o diálogo com os órgãos de fiscalização e acessibilidade para o reordenamento urbano do entorno dos estádios
  • Ter acesso a informações sobre cadastro de associados em torcidas organizadas de clubes de Fortaleza
  • Policiamento com 850 policiais militares em dias de jogo entre Fortaleza e Ceará

Quem são as vítimas:

  • José Gilmar Furtado de Oliveira Júnior (33), morto na Praça da Gentilândia
  • Antônio Igor Moreira e Silva (26), morto na Praça da Gentilândia
  • Joaquim Vieira de Lucena Neto (21), morto na Praça da Gentilândia
  • Carlos Victor Meneses Barros (23), morto na Vila Demétrio
  • Pedro Braga Barroso Neto (22), vítima da Rua Joaquim Magalhães
  • Emilson Bandeira de Melo Júnior (27), baleado na Vila Demétrio, faleceu no hospital IJF
  • Adenilton da Silva Ferreira (24), baleado na Vila Demétro, faleceu no hospital IJF

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: G1

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.