Simpatizantes de Trump pedem boicote da Starbucks

Como resposta ao decreto do presidente Donald Trump para impedir temporariamente a entrada de cidadãos de países muçulmanos e de refugiados nos Estados Unidos, a Starbucks afirmou que vai contratar 10 mil refugiados nos próximos cinco anos. Muitas outras marcar apoiaram a ação da rede de cafeteria, mas, por outro lado, os apoiadores de Trump foram às redes sociais para criticar e ameaçar boicotar a Starbucks, de acordo o veículo de notícias “Independent”.

A hashtag #BoycottStarbucks (#BoicoteaStarbucks) foi criada e ficou no trending topics do Twitter. Ela foi utilizada por usuários elogiando e condenando a ação da empresa. O usuário Scott Presler, por exemplo, disse: “Enquanto o presidente Trump está trabalhando para gerar empregos aos americados, a Starbucks quer contratar 10 mil refugiados. E quanto a nós? #BoycottStarbucks”. Já Shafeeq Younus twittou a favor “Tem uma #boycottStarbucks acontecendo porque eles pretendem contratar refugiados. Vocês sabem o que isso significa? Hora de ir ao Starbucks”.

Além disso, a rede também sofreu críticas por contratar refugiados em vez de veteranos de guerra. No entanto, a Starbucks tem um programa que dá suporte a ex-combatentes e as respectivas famílias. A empresa está em processo de contratação de 10 mil veteranos e cônjuges militares como parte de uma promessa feita em 2013 com meta para 2018.

Ainda segundo o”Independent”, a Starbucks já teve um outro envolvimento político e foi polemizada no Twitter. Em novembro do ano passado, a empresa foi boicotada por “politizar o café” com os novos “copos comunitários” que ela lançou para passar um “símbolo de unidade” em um momento de divisão.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.