Segundo Defesa Civil, número de famílias desabrigadas no Maranhão alcança 2.357

 

Segundo dados oficiais, são 13 cidades afetadas pelas enchentes causadas por fortes chuvas nestes últimos dias no Maranhão.

 

 

De acordo com o último levantamento feito pelo Corpo de Bombeiros e Defesa Civil do Maranhão, existem 2.357 famílias atingidas por inundações no estado por conta das fortes chuvas desses últimos dias. Pedreiras e Trizidela do Vale tiveram aumento neste sentido e estão agora com 182 e 419 famílias desabrigadas respectivamente.

Segundo dados oficiais, as 13 cidades afetadas são Marajá do Sena (185 famílias), Pedreiras (182 famílias), Trizidela do Vale (419 famílias), Presidente Vargas (300 famílias), Brejo (200 famílias), Bacabal (87 famílias), Imperatriz (15 famílias), Tuntum (335 famílias), Caxias (12 famílias), Codó (68 famílias), São João do Sóter (483 famílias), São Luiz Gonzaga (34 famílias) e Timbiras (37 famílias).

Após chuva, aumenta o nível do Rio Pindaré no Maranhão

Após chuva, aumenta o nível do Rio Pindaré no Maranhão

Os municípios de Rosário, Timbiras, Cantanhede, Nina Rodrigues, Paulino Neves e Araioses atualmente estão em estado de alerta e a Defesa Civil também acompanha a situação.

Chuvas no Maranhão

Após o grande volume de chuvas que caiu durante toda a semana, as cidades mais atingidas pelas cheias tentam se recuperar dos estragos causados. Em Tuntum, a 365 km de São Luís, a chuva quase devastou a cidade durante a maior enchente em 30 anos registrada na região.

Após o transbordamento do rio Itapecuru em Codó, a 290 km de São Luís, equipes da Defesa Civil e do Exército se mobilizam para resgatar as vítimas das enchentes. O nível do rio já está oito metros acima do normal e um ginásio tem servido de abrigo para os moradores afetados.

Em Trizidela do Vale, o rio Mearim está 5 metros acima no nível normal. A Defesa Civil montou barracas em um ginásio de esportes para abrigar 250 famílias afetadas.

Oficiais do Exército ajudam a resgatar as vítimas da enchente em Codó (MA). (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Oficiais do Exército ajudam a resgatar as vítimas da enchente em Codó (MA). (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Em Pedreiras, centenas de famílias também tiveram que deixar suas casas e uma escola está servindo de abrigo. O transporte pelas ruas na cidade só é possível de canoa.

No trecho BR-135 entre Presidente Dutra e Dom Pedro que foi destruída com a força da enxurrada, metade da pista já foi recuperada, mas o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) ainda não emitiu informações sobre a previsão de liberar a segunda parte da via.

BR-135, momentos antes de ser completamente cortada pela água (Foto: Divulgação/PRF-MA)

BR-135, momentos antes de ser completamente cortada pela água (Foto: Divulgação/PRF-MA)

Como ajudar

Em São Luís, a Cruz Vermelha e a ‘S.O.S Tuntum’ estão recebendo donativos em vários pontos da cidade. As doações serão levadas para famílias em municípios afetados pelas chuvas.

Pela Cruz Vermelha Brasileira é possível contribuir levando doações à sede da filial do Maranhão da Cruz Vermelha Brasileira, que fica na Avenida Getúlio Vargas, 47, Monte Castelo, São Luís. Outra opção é fazer uma doação em dinheiro pela conta da Cruz Vermelha Brasileira no Banco Sicoob, agência 4327, Conta Corrente número 4082-7, CNPJ: 33.651.803/0001-65. Para tirar dúvidas, também é possível ligar nos números 3249-9712, 9 8832-7249 e 9 9136-7276.

Já a ‘S.O.S Tuntum’ está recebendo doaçõs na Parada Obrigatória (Localizada na Ponta d’Areia); Tom Music (Av. São Luís Rei de França, Turu); e na Onda Lava Jato (Av. Mario Andreazza, Turu). Para mais informações sobre o grupo, basta entrar em contato nos números: Marcelo Bala (99991-0626), Indira Moura (99133- 2370), Arsenio Filho (98152-0206) e Helanne Sá (98877-5658).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fonte: g1

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.