Reitora Nair Portela e o IPHAN assinam ordem de serviço para restaurar prédio do SIOGE

IMG_6130.JPG

SÃO LUÍS – Foi realizada nesta segunda-feira, 6, a assinatura do contrato entre a Universidade Federal do Maranhão, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e a empresa vencedora da licitação, a Novo Horizonte, para a restauração do antigo prédio do Serviço de Imprensa e Obras Gráficas do Estado (SIOGE), que também conta com o apoio e a parceria da Petrobrás.

A reitora Nair Portela enfatizou que a restauração e requalificação da Fábrica Progresso, onde funcionou o antigo Sioge, é um momento muito esperado pela Universidade. Para ela, com a conclusão da obra, com duração prevista de um ano e quatro meses, vai-se elevar a qualidade da arqueologia maranhense.

O prédio custodiará os achados arqueológicos da área de implantação da Refinaria Premium, em Bacabeira, e também os artefatos que fazem parte do projeto acadêmico desenvolvido pelo laboratório de arqueologia da Universidade. O monumento histórico, após a conclusão da obra, abrigará o curso de História e a pós-graduação em Arqueologia da UFMA.

Segundo o coordenador do Laboratório de Arqueologia da Universidade, Alexandre Navarro, o primeiro ganho é o ganho acadêmico, já que no prédio funcionará um curso de arqueologia no Maranhão, o primeiro do estado e também um dos poucos da região Nordeste e do Brasil. “A restauração do prédio vai incentivar estudantes e pesquisadores na formação acadêmica, qualificando-os para o mercado e também para apresentar à comunidade peças raras e materiais arqueológicos que só existem no Maranhão, o que contribui para o desenvolvimento da arqueologia local, criando um intercâmbio entre os arqueólogos de outros estados e países”, afirmou.

A Presidente Nacional do Iphan, Kátia Bogéa, também falou da satisfação e alegria em participar deste momento histórico e da grande contribuição para o Estado. “Este é um projeto ambicioso que busca a reabilitação de toda a área do Centro Histórico, que se estende até a região do Mercado Central. Temos a Universidade cumprindo seu papel social na preservação do Centro Histórico de São Luís”, afirmou.

FONTE: Assessoria de Comunicação da UFMA

                                                   ALICE MENDES

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.