Programação de Férias marcam atividades do mês de janeiro nas unidades da Funac

Janeiro é o mês das férias e as unidades da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), vinculada à Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), realizaram uma programação especial para os socioeducandos com atividades diversas de lazer, cultura e esporte.

Teve um pouco de tudo: futebol de areia, games, jogos educativos, sessões de cinema, passeios no centro histórico de São Luís, oficinas de hip-hop, grafite e de música. Tudo isso para oferecer uma programação alternativa aos adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa.

“Garantir o direito a cultura, lazer e ao esporte é um compromisso da Funac, assim como a escolarização, profissionalização e os demais atendimentos que realizamos. São direitos e garantias dos socioeducandos e da nossa gestão tem o total apoio para que sejam efetivados”, falou a presidente da Fundação, Elisângela Cardoso.

Teve um pouco de tudo: futebol de areia, games, jogos educativos, sessões de cinema, passeios no centro histórico de São Luís, oficinas de hip-hop, grafite e de música. (Foto: Divulgação/Funac)

Teve um pouco de tudo: futebol de areia, games, jogos educativos, sessões de cinema, passeios no centro histórico de São Luís, oficinas de hip-hop, grafite e de música. (Foto: Divulgação/Funac)

A privação de liberdade trás uma ansiedade, angústia e mesmo tristeza aos internos, principalmente nessa fase da adolescência. “Por isso a importância de se ter atividades alternativas como essas nas unidades, ainda mais nesse mês de janeiro, que possibilitem momentos de descontração e relaxamento. Isso melhora a dinâmica das unidades, eles ficam mais calmos e a condução dos trabalhos flui melhor”, ressalta a Diretora Técnica da Funac, Lúcia Diniz.

Atividades

O hip hop deu o tom das férias do Centro de Convivência Restaurativa do Alto da Esperança. E foi com muita empolgação que os socioeducandos participaram das oficinas de hip hop e grafitagem. As atividades já acontecem desde o final de dezembro e tem muita identificação com a realidade deles. “As oficinas facilitadas pelos educadores da unidade e com o apoio do voluntário DJ Arielson foram momentos que favoreceram o cultivo dos valores criativos, através da expressão artística no canto, rima e improviso que este gênero musical possibilita”, conta a vice-diretora da unidade, Cristiane Ribeiro. “O resultado foi tão bom que agora já estamos organizando um Festival de Hip Hop para o próximo mês”, comemora.

Curiosidade não faltou ao passeio na Casa do Maranhão e a Galeria Morada das Artes, ambos no Centro Histórico, na quinta-feira (26). Os adolescentes conheceram a história e as lendas da capital, entenderam um pouco mais sobre arte popular e admiraram os casarões. “A experiência foi muito boa, principalmente para os jovens que são do interior do Estado. Eles se dedicaram a perguntar, estavam curiosos e participaram bastante”, avaliou a coordenadora técnica da Casa de Semiliberdade Nova Jerusalém, Crêdimis Mendes.

Fabricação de tabuleiros e as partidas de dama foi o passatempo escolhido pelos adolescentes do Sítio Nova Vida para essas férias. Com o apoio e orientação do oficineiro Mestre Bamba, que também coordena as atividades musicais na unidade, os jovens fabricaram todo o material utilizado e realizaram também outros jogos educativos.

Teve um pouco de tudo: futebol de areia, games, jogos educativos, sessões de cinema, passeios no centro histórico de São Luís, oficinas de hip-hop, grafite e de música. (Foto: Divulgação/Funac)

Teve um pouco de tudo: futebol de areia, games, jogos educativos, sessões de cinema, passeios no centro histórico de São Luís, oficinas de hip-hop, grafite e de música. (Foto: Divulgação/Funac)

“As atividades das férias são pensadas de acordo com o perfil de cada unidade e com a natureza das medidas socioeducativas que os adolescentes estão cumprindo”, explica a coordenadora dos programas socioeducativos, Nelma Pereira. “E com o apoio das equipes técnicas fazemos os planejamentos, estabelecemos as parcerias, montamos a logística necessária de forma a garantir esse direito aos socioeducandos”, completa.

E para fechar o mês, tinha que ter aquele futebol de areia e as aulas de pintura e desenho. “Essas são algumas das atividades que os socioeducandos mais gostam e podemos trabalhá-las de diversas formas por que estimulamos a capacidade criativa, o trabalho em equipe e mesmo as questões de saúde como os movimentos, relaxamento, liberação dos hormônios próprios da juventude”, acrescenta a coordenadora Nelma.

Para o carnaval, mais atividades já estão sendo articuladas como a confecção de máscaras e bailinhos culturais, envolvendo também os trabalhos já produzidos pelos adolescentes.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.