Procon autua banco do Bradesco em Codó por falhas no atendimento e garante abertura da agência às 7h

O Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Estado do Maranhão (PROCON/MA) autuou, na noite desta segunda-feira (8), a agência do Banco Bradesco de Codó, por falhas no atendimento. Durante a fiscalização, foi constatado que os cidadãos estão dormindo nas calçadas, durante a madrugada, para conseguirem ser atendidas na agência no início da manhã.

Procon autua banco do Bradesco em Codó por falhas no atendimento e garante abertura da agência às 7h. (Foto: Divulgação)

Procon autua banco do Bradesco em Codó por falhas no atendimento e garante abertura da agência às 7h. (Foto: Divulgação)

Após interferência do Procon, a superintendência regional do banco informou que irá melhorar o serviço (abrindo mais cedo e dobrando o número de bancários). Nesta terça (9), a agência em Codó abriu às 7h, alternativa que irá permanecer nos próximos dias até que o fluxo reduza e todos sejam atendidos.

A situação se tornou grave após a saída da agência do Itaú da cidade e, posteriormente, com a migração dos consumidores para o Bradesco. O banco foi autuado quatro vezes pelo Instituto, somente na noite de segunda (8), pelas recorrentes falhas na prestação de serviço.

Além da demora no atendimento, outro problema recorrente é a limitação de senhas, comprometida por falhas na máquina de emissão de senhas, que oscilam no funcionamento. Fiscais do PROCON/MA já estão no município monitorando o caso, orientando os consumidores para os próximos procedimentos e autuando a agência pelas falhas identificadas.

Autuações e multas

Procon autua banco do Bradesco em Codó por falhas no atendimento e garante abertura da agência às 7h. (Foto: Divulgação)

Procon autua banco do Bradesco em Codó por falhas no atendimento e garante abertura da agência às 7h. (Foto: Divulgação)

Desde 2015, os bancos do município já foram autuados 107 vezes, com multas somadas no total de R$ 1.024.714,99. Já em relação ao banco Bradesco, de 2015 até agora foram lavradas 34 multas, que somadas resultaram em um valor de R$ 397.604,84.

De acordo com o presidente do PROCON/MA, Duarte Júnior, a situação é alarmante. “Em pleno século XXI, nos deparamos com um cenário lamentável. É inadmissível que o banco aja com desrespeito aos direitos dos consumidores. Agora, a agência só tem duas alternativas: ou melhoram o serviço oferecido ou sofrerão sanções cada vez mais rígidas. Continuaremos acompanhando de perto até a resolução definitiva deste caso”, alertou o presidente.

Os consumidores devem ficar atentos. Se tais ocorrências continuarem a serem registradas, eles deverão registrar reclamação na plataforma www.consumidor.gov.br, pelo aplicativo do PROCON/MA, pelo site www.procon.ma.gov.br ou nas unidades físicas distribuídas por todo o Maranhão.

 

 

FONTE: GOVERNO DO ESTADO

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.